Cidade por Luiza Leão e Paloma Morais no dia 12 de Jan de 2018 • 18:04

ʹCarnaval é atropelado quando entra comércioʹ, avalia Armandinho

ʹCarnaval é atropelado quando entra comércioʹ, avalia Armandinho

Foto: Matheus Simoni/ Metropress

Idealizador do Trio Elétrico, Armando da Costa Macêdo, o Armandinho, avaliou que a riqueza do Carnaval de Salvador é "atropelada" por práticas como priorização da venda da folia. "A gente está aqui por batalha, resistência, porque fazemos parte dessa história", pontuou.

"Tudo que aconteceu e vem acontecendo na Bahia, fruto da criatividade do povo, da arte, em geral, eu acho bacana, mas a coisa é atropelada quando entra comércio, quando entra vender a todo custo, primeiro lugar vender. Eu acho que o Caranaval tem que ser a representação do baiano, da história da Bahia. Tem que ser uma manifestação cultural", declarou, em entrevista ao Jornal da Cidade 2ª Edição, na Rádio Metrópole, nesta sexta-feira (12).

Ao citar os festejos pernambucanos como um "exemplo de carnaval autêntico", Armandinho criticou também a falta de espaço para os artistas mais novos. "A Bahia tem tudo para ter um carnaval baiano. Os mais novos também têm que crescer e esse espaço tem sido roubado pela parte empresarial. Acho que isso que não pode ser atropelado", acrescentou.



publicidade:


Notícias : Cidade