Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

A Regra é Não Ter Regras - A Netflix e a cultura da reinvenção

Para ser lido entre um episódio e outro de 'EUA: A Luta pela Liberdade'.

[A Regra é Não Ter Regras - A Netflix e a cultura da reinvenção]
Foto : Divulgação/Netflix

Por Pedro Oliveira no dia 01 de Março de 2021 ⋅ 14:24

A Netflix começou duas vezes: na primeira, teve um prejuízo de 57 milhões de dólares. Na segunda, demitiu um terço dos funcionários. Os dois acontecimentos são decisivos na formação da empresa que surgiu como uma locadora, inovou ao lançar conteúdo exclusivo de estúdios de cinema, desenvolveu a própria produtora e foi a principal vencedora da 78ª edição do Globo de Ouro, que aconteceu neste domingo (28) e rendeu 12 prêmios à companhia - a consagração teve início na edição do Oscar de 2019, quando Roma levou o bonequinho de melhor filme.

Essa história é contada no novo lançamento da Editora Intrínseca: 'A Regra É Não Ter Regras - A Netflix e a cultura da reinvenção'. Um trunfo do livro, escrito numa parceria do CEO da empresa, Reed Hastings, com a jornalista Erin Meyer, é o relato de como os desafios encontrados na tentativa de viabilizar a locadora forjaram a mentalidade da produtora. 

O prejuízo do primeiro começo foi uma pedra no caminho, fruto de uma época em que as locadoras tradicionais ditavam o funcionamento do mercado. Mas as demissões, uma resposta à crise de 2001, acertaram em uma fórmula imprevista: contar com menos funcionários em um regime que ameaça profissionais que não alcançam a excelência e fomentar um circuito intensivo de conversas entre aqueles que revelaram talento suficiente para continuar no emprego acelerou o crescimento da plataforma.

Como resultado, a plataforma inseriu seu nome na cultura popular - "Um Netflix lá em casa" - e viu seu nome no topo da lista de "Empresa dos Sonhos" - aquela em que profissionais de diversas áreas nomeiam a companhia em que gostariam de trabalhar. Em 2020, a Netflix superou Google e Amazon neste ranking. 'A Regra É Não Ter Regras' é a história dessa ultrapassagem.

 

Amazon.com.br eBooks Kindle: A Regra é Não Ter Regras: A Netflix e a  Cultura da Reinvenção, Hastings, Reed, Meyer, Erin

Indicações relacionadas

[Alma de Cowboy]

Alma de Cowboy

Por Mário Kertész no dia 05 de Abril de 2021 ⋅ 17:41

Movido por uma história de cowboys do asfalto, a obra aborda um drama familiar protagonizado pelos atores Idris Elba e Caleb McLaughlin

[Shtisel]

Shtisel

Por Mário Kertész no dia 30 de Março de 2021 ⋅ 09:35

[A Hora dos Ruminantes]

A Hora dos Ruminantes

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Março de 2021 ⋅ 10:24

De autoria de José J. Veiga, uma das grandes obras do realismo fantástico nacional usa alegorias para falar de política

[Felicidade por um fio]

Felicidade por um fio

Por Cristiele França no dia 08 de Março de 2021 ⋅ 14:00

Sob a direção de Haifaa Al-Mansour, “Felicidade por um fio” permite ao telespectador sentir emoções de uma vida tão próxima, para uns, mas para muitos, tão distante

[Cidade Invisível]

Cidade Invisível

Por Gabriel Amorim no dia 04 de Março de 2021 ⋅ 08:00

Figuras do folclore se misturam a investigação policial em série brasileira da Netflix; Segunda temporada já foi confirmada

[Malcolm & Marie]

Malcolm & Marie

Por Matheus Simoni no dia 15 de Fevereiro de 2021 ⋅ 11:46

Romântico ou não, filme liga o alerta para relacionamentos abusivos e mostra como, em uma noite, tudo pode desmoronar

[Dix Pour Cent]

Dix Pour Cent

Por Adele Robichez no dia 09 de Fevereiro de 2021 ⋅ 08:00

Em uma conceituada agência de talentos de Paris, os agentes se desdobram para manter os astros satisfeitos e os lucros constantes após uma crise

[República dos Mentecaptos]

República dos Mentecaptos

Por Mário Kertész no dia 08 de Fevereiro de 2021 ⋅ 12:10

Fernando Vita conta a história do prefeito de "Todavia", uma cidade imaginária localizada no Recôncavo Baiano, que tem como ídolo Antônio Carlos Magalhães

[2020 Nunca Mais]

2020 Nunca Mais

Por Matheus Simoni no dia 05 de Fevereiro de 2021 ⋅ 11:59

Retrospectiva bem humorada e uma sátira a um ano que não vai deixar saudade nenhuma