Bahia

"O mais importante da música baiana", diz Jonga Cunha sobre Wesley Rangel

O músico e apresentador do Roda Baiana da Rádio Metrópole, Jonga Cunha, comentou a morte do publicitário baiano Wesley Rangel, nesta quarta-feira (6). Durante o velório, no Cemitério Jardim da Saudade, Jonga falou ao Metro1 sobre a perda de um dos ícones mais importantes da música baiana. [Leia mais...]

[
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Simoni e Matheus Morais no dia 06 de Janeiro de 2016 ⋅ 15:13

O músico e apresentador do Roda Baiana da Rádio Metrópole, Jonga Cunha, comentou a morte do publicitário baiano Wesley Rangel, nesta quarta-feira (6). Durante o velório, no Cemitério Jardim da Saudade, Jonga falou ao Metro1 sobre a perda de um dos ícones mais importantes da música baiana.

"Eu tenho até a ousadia de dizer que talvez a gente tenha perdido, no lado funcional, o cara mais importante da música contemporânea, do tal Axé Music, que foi Wesley Rangel. Ele viabilizou esse movimento. Até o incio da década de 80, a gente tinha que ir no Rio para entrar numa fila para gravar e entrar numa disputa por uma gravadora. A WR veio a dar condições a todos os baianos para gravar, colocar nas rádios e existir sem sair da terra. Foi por isso que o movimento floresceu, explodiu e virou o que foi", disse ele.

Jonga ainda afirmou que Wesley deve ser lembrado também pela sua personalidade e ressaltou a amizade que tinha com o publicitário baiano.

"Funcionalmente, ele foi o mais importante de todos. A gente não pode só imaginar ele como um produto e como uma peça da engrenagem. Era um homem apaixonado por música, um pai, um irmão e um tio que passou por todas essas gerações das últimas quatro décadas da Bahia vivendo emocionado, contribuindo, fazendo com que a música baiana fosse linda do jeito que ele era, puro, bacana e positivo. É uma perda com vários vieses. Antes de qualquer coisa, é um amigo que eu estou perdendo", declarou.

Notícias relacionadas