Bahia

"Um desafio", diz presidente do Instituto Geográfico sobre suceder Consuelo

O presidente do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, Eduardo Morais de Castro, comentou a responsabilidade de suceder a professora e historiadora Consuelo Pondé de Sena, que morreu em maio de 2015 após devido a complicações decorrentes de uma pneumonia. [Leia mais...]

[
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira e Matheus Morais no dia 15 de Janeiro de 2016 ⋅ 08:18

O presidente do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, Eduardo Morais de Castro, comentou a responsabilidade de suceder a professora e historiadora Consuelo Pondé de Sena, que morreu em maio de 2015 após devido a complicações decorrentes de uma pneumonia. "É um desafio. O grande mérito de Consuelo Pondé de Sena foi deixar as portas abertas para o público”, disse em entrevista à Rádio Metrópole nesta sexta-feira (15).

Pós-graduada em Ciências Sociais, Consuelo exerceu cinco mandatos como presidente do Instituto Geográfico e Histórico, que conta com auxílio do Fundo de Cultura do Estado da Bahia para se manter. “Temos alguns imóveis alugados, mas quem banca os custos é o Fundo de Cultura. O instituto tem 122 anos, e tem o patrimônio maior a guarda do estado da Bahia. Somos responsáveis pelos carros do Caboclo e da Cabocla, e tem um acervo dos jornais da Bahia desde o século XIX. Um dos nossos grandes intuitos é digitalizar o nosso acervo e dispor os nosso jornais para a comunidade internacional, inclusive. Conseguimos uma verba recentemente para digitalizar 3 mil imagens”, conta Moraes.

Comentarios

Notícias relacionadas