Bahia

Comandante detalha ações da PM no Carnaval: "Operação de guerra"

Cerca de 21 mil policiais militares vão atuar todos os dias do Carnaval 2016 da Bahia. Em Salvador, a operação Folia Em Paz vai garantir a segurança do folião nos circuitos oficiais e nos carnavais de bairros, como garantiu o comandante da Polícia Militar (PM), coronel Anselmo Brandão, em entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (21).[Leia mais...]

[Comandante detalha ações da PM no Carnaval:
Foto : Raul Golinelli / GOVBA

Por Camila Tíssia no dia 21 de Janeiro de 2016 ⋅ 07:43

Cerca de 21 mil policiais militares vão atuar todos os dias do Carnaval 2016 da Bahia. Em Salvador, a operação Folia Em Paz vai garantir a segurança do folião nos circuitos oficiais e nos carnavais de bairros, como garantiu o comandante da Polícia Militar (PM), coronel Anselmo Brandão, em entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (21).  

"Teremos os portais da abordagem, 48 portais, abordando e fiscalizando as pessoas. É uma ação de prevenção, isso vai fazer com que as pessoas percebam isso. Vamos ser duros nessas abordagens, peço paciência a sociedade. Teremos agentes, câmeras, fora os nossos trabalhos, além de 60 viaturas com o Graer. É uma operação que temos tudo, vamos repetir o que fizemos ano passado com mais avanço fortalecendo nossas ações de prevenção", disse.

Sobre a preparação para o mega evento, o coronel afirmou ser uma "operação de guerra". "O carnaval da Bahia tem expertise internacional. Juazeiro foi o pontapé inicial, temos mais 30 cidades pra cobrir, hoje começa em Juazeiro, temos o emprego do efetivo razoável, depois Porto Seguro. Sempre atento pra dar segurança para população Baiana. Com trabalho das bases, fazemos mais prevenção que repreensão. Fazemos um trabalho de inclusão muito forte, foi um acerto muito grande do governo", completou.

Essa semana, em entrevista à Metrópole, o governador Rui Costa chegou a reafirmar o compromisso com a segurança pública na folia deste ano. Rui divulgou na terça-feira (19), que os acessos aos circuitos terão portais com detectores de metais e que as saídas das estações de metrô e ônibus também terão o controle dos equipamentos de segurança. 

Comentarios

Notícias relacionadas

[Sobe número de mortes por H1N1 na Bahia]
Bahia

Sobe número de mortes por H1N1 na Bahia

Por Metro1 no dia 19 de Junho de 2018 ⋅ 17:01 em Bahia

As faixas etárias mais atingidas pela doença são os menores de 5 anos ou maiores de 60, que também respondem por 60% dos óbitos pelo vírus