Bahia

Forças Armadas entram no combate ao Aedes; 6 mil vão atuar na ação

Em meio a expansão do vírus Zika, o Governo da Bahia juntamente com as Forças Armadas realizam, nesta sexta-feira (12), uma coletiva para discutir as ações de mobilizaçao e combate ao mosquito Aedes aegypti, que serão iniciadas em 13 cidades do estado no próximo sábado (13). [Leia mais...]

[Forças Armadas entram no combate ao Aedes; 6 mil vão atuar na ação]
Foto : Matheus Morais/Metropress

Por Gabriel Nascimento e Matheus Morais no dia 12 de Fevereiro de 2016 ⋅ 09:51

Em meio a expansão do vírus Zika, o Governo da Bahia juntamente com as Forças Armadas realizam, nesta sexta-feira (12), uma entrevista coletiva para discutir as ações de mobilizaçao e combate ao mosquito Aedes aegypti, que serão iniciadas em 13 cidades do estado no próximo sábado (13). A reunião acontece na sede do Comando da 6ª Região Militar, localizado no bairro da Mouraria, em Salvador.

Presente no encontro, o secretário municipal de Saúde, José Antonio Rodrigues comentou a operação, que tem como tema "Um mosquito não é mais forte que um país inteiro ". "Temos 1800 agentes de endemias atuando. A cidade foi dividida em 12 distritos sanitários em 76 localidades. Salvador tem a menor infestação predial da última década, mas isso não é uniforme. Os agentes de endemias vão atuar junto com as organizações militares", disse.

A partir deste sábado (13), as organizações militares vão priorizar a motivação da população contra o mosquito. Os trabalhos na Cidade Baixa e no Centro Histórico ficarão por conta da Marinha. A Orla ficará com o Exército e a Força Aérea na região do aeroporto, Lauro de Freitas e Itapuã. Ao todo, são 6 mil homens atuando.

 

Notícias relacionadas