Bahia

Com dívida de R$ 4 bi, governo descarta reajuste de servidores e garante obras

O secretário afirmou ainda, que apesar do corte de gastos e diante da crise não há como ceder reajuste salarial para o servidor. [Leia mais...]

[Com dívida de R$ 4 bi, governo descarta reajuste de servidores e garante obras]
Foto : Secom/Bahia

Por Milene Rios e Matheus Morais no dia 09 de Março de 2016 ⋅ 08:30

A crise econômica que atinge as contas do governo federal, reflete nos estados e preocupa governadores e secretários estaduais da Fazenda, e na Bahia não tem sido diferente. O secretário da Fazenda, Manoel Vitório, revelou em entrevista à Rádio Metrópole nesta terça-feira (9), que mesmo com os ajustes adotados pelo governo, o estado atingiu uma dívida de R$ 4 bilhões. 

“Um estado como a Bahia com a dívida de 4 bilhões […]. Então, todos os estados estão numa situação difícil, você pode com pouco dinheiro continuar com obras estruturantes, com capacidade de pagamento. Vamos continuar com as obras de mobilidade urbana. O governador já vem conversando com os chineses sobre o Fiol e o Porto Sul”, declarou o secretário

O secretário afirmou ainda, que apesar do corte de gastos, não há como ceder reajuste salarial para o servidor. “Rui tem a característica de se antecipar à crise e hoje nós não temos condições de oferecer aumento salarial para os servidores. Com a qualificação do gasto público, tivemos uma queda nominal nas despesas”.

 

 

Notícias relacionadas