Bahia

Com paralisação na rede estadual de ensino, secretaria garante benefícios

O presidente da APLB, Rui Oliveira, afirmou que a categoria reivindica, nacionalmente, o pagamento do piso salarial, a implantação de 1/3 da jornada para atividades complementares, além de ser contrário à terceirização do trabalho. [Leia mais...]

[Com paralisação na rede estadual de ensino, secretaria garante benefícios]
Foto : Divulgação/ Ascom Educação

Por Camila Tíssia no dia 16 de Março de 2016 ⋅ 10:13

O trabalhadores da rede estadual de ensino, incluindo professores, aderiram desde ontem (15) a paralisação nacional da categoria convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). O presidente da APLB, Rui Oliveira, afirmou que a categoria reivindica, nacionalmente, o pagamento do piso salarial, a implantação de 1/3 da jornada para atividades complementares, além de ser contrário à terceirização do trabalho.

Nesta quarta-feira (16), a Secretaria da Educação do Estado da Bahia se posicionou através de nota e disse que garante todos os benefícios. Em relação à mobilização nacional dos professores, sobre o piso nacional, a secretaria falou que o governo "sempre pagou o piso Nacional dos Professores desde quando foi instituído, em 2009".
 
Em relação a aplicação de um terço da Jornada, foi afirmado que, já é garantido os 33% de jornada do professor para atividades complementares, fora da sala de aula.
 
Já sobre a terceirização, o Governo da Bahia diz que, os novos contratos serão regidos pela Lei Anticalote, que reforça a preservação de direitos essenciais, ao determinar que sejam retidos em conta benefícios trabalhistas.
 
A secretaria complementou as informações falando sobre a "liberdade de expressão". "O governo promove a democracia participativa nas escolas da rede estadual, através da eleição direta para Gestores Escolares, para Colegiado Escolar, para Grêmios Estudantis e, em 2015, realizou a 1a?Eleição de 33 mil Líderes de Classe em todas as salas de aula das escolas estaduais. Essas ações fortalecem a participação da comunidade escolar na tomada de decisões para melhoria da Educação", diz a nota.

Notícias relacionadas