Bahia

“Bahia ficou órfã quando Antônio Carlos Magalhães morreu”, lembra Dantaslé

A história da Bahia foi lembrada pelo professor Noelio Dantaslé Spinola, em entrevista à Rádio Metrópole nesta sexta-feira (25). Autor do livro "A Trilha Perdida: Caminhos e descaminhos do desenvolvimento baiano no século XX", Dantaslé lembrou a importância política e histórica de Antônio Carlos Magalhães para o estado [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira e Matheus Morais no dia 25 de Agosto de 2016 ⋅ 08:22

A história da Bahia foi lembrada pelo professor e escritor Noelio Dantaslé Spinola, em entrevista à Rádio Metrópole nesta sexta-feira (25). Autor do livro "A Trilha Perdida: Caminhos e descaminhos do desenvolvimento baiano no século XX", Dantaslé lembrou a importância política e histórica de Antônio Carlos Magalhães.

“Já falaram muito mal dele, mas a Bahia ficou órfã quando ACM morreu. Faltam vozes que defendam a Bahia. Você é das poucas vozes que defendem a Bahia. Nós não temos que grite pela gente, quem brigue. Isso é um problema sério”, disse, agradecendo a participação de Mário Kertész na luta pelo estado. 

“Estou em paz, feliz, porque estou fazendo o que eu gosto. Nasci com o carimbo de professor, por isso não se dá treinamento para professor, porque não se inaugura costas de professor. Sou ouvinte assíduo, eu e meu motorista, gosto do trabalho que você faz aqui”, completou, elogiando a programação da Metrópole

 

Notícias relacionadas