Bahia

Pesquisa revela que quase 10% dos estudantes baianos já usaram crack

Dados divulgados na última sexta-feira (26) pela Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indicam que, 9,9% dos estudantes baianos no 9º ano do ensino fundamental, já fizeram uso do crack. O percentual é muito maior que o nacional, de 5,5%. Na Bahia, 183.491 alunos foram ouvidos. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Divulgação/Secom

Por Gabriel Nascimento no dia 27 de Agosto de 2016 ⋅ 12:19

Dados divulgados na última sexta-feira (26) pela Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indicam que, 9,9% dos estudantes baianos no 9º ano do ensino fundamental, já fizeram uso do crack. O percentual é muito maior que o nacional, de 5,5%. Na Bahia, 183.491 alunos foram ouvidos.

Em relação ao uso de maconha, os estudantes de Salvador ficam acima da média nacional: 49,9% dizem que experimentaram drogas ilícitas 30 dias antes da pesquisa. A maioria deles estudava em escolas privadas (56,3%). Jovens em sua maioria entre 12 e 16 anos.

Além disso, 4,1% dos estudantes revelaram que foram estuprados no estado. A média nacional é de 4%. Segundo o levantamento, as meninas foram as maiores vítimas (4,4%). Entre os meninos, 3,7% já foi forçado a ter relação sexual. A maior parte das vítimas dizem estudar em escolas públicas (4,4%), contra 2% nas particulares. Em Salvador, a média dos estudantes que disseram ter sido alvos de abusos é de 3,3%. Do total de garotas baianas, 15,6% dizem ter engravidado. Número acima da média nacional, de 9%. Na capital baiana, são 6,2%.

Notícias relacionadas