Bahia

Dez anos depois: Fazenda doada por Gilberto Gil ao MST continua sem assentados

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, uma fazenda doada pelo cantor e compositor Gilberto Gil, há mais de 10 anos, ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), na zona rural da cidade de Cravolândia, não tem moradores fixos. Simpatizante do MST, o então ministro da Cultura do ex-presidente Luiz Inácio Lula resolveu entregá-la aos sem-terra, na expectativa de um renascimento da propriedade. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Claudio Leal/ Folhapress / Reprodução

Por Matheus Morais no dia 05 de Setembro de 2016 ⋅ 07:22

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, uma fazenda doada pelo cantor e compositor Gilberto Gil, há mais de 10 anos, ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), na zona rural da cidade de Cravolândia, não tem moradores fixos. Simpatizante do MST, o então ministro da Cultura do ex-presidente Luiz Inácio Lula resolveu entregá-la aos sem-terra, na expectativa de um renascimento da propriedade. De acordo com a publicação, a experiência campesina de Gil deve-se à amizade com o designer Rogério Duarte (1939-2016), ex-integrante da Tropicália. 

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) afirmou ao jornal que a fazenda fica localizada na região próxima à Palestina, que é um antigo latifúndio exportador de café, transformado em um assentamento de 4,3 mil hectares. Segundo a Folha, alguns frequentadores de um bar do vilarejo ainda chamam a propriedade da vizinhança, doada ao MST, como "a fazenda de Gilberto Gil", a 30 minutos de carro do centro da cidade.

Procurado pelo jornal, o MST respondeu à reportagem por e-mail:  "De acordo com a direção do MST no Estado, a área doada por Gilberto Gil não comporta um assentamento de reforma agrária, as informações que temos apontam que o sítio possui entre 40 a 70 hectares. Esse processo pode ser confirmado com o Incra, órgão responsável pelo processo de desapropriação. Além disso, existem diversas dificuldades de acesso, tendo em vista que historicamente não houve investimentos em infraestrutura".
 
"O MST até então, por conta destas questões e das demandas emergenciais do dia a dia, até o exato momento, não fez um investimento maior na propriedade, não havendo moradores fixos na localidade", diz o email. Já a superintendência do Incra informou que Gilberto Gil "pode fazer doações de áreas rurais a associações de agricultores e pessoas físicas, mas ao Incra não há nenhum processo em questão". E detalha: uma área de 70 hectares, em Cravolândia, é considerada "uma pequena propriedade" (na cidade, cada módulo fiscal possui 35 hectares). A legislação do Incra "determina que a criação de assentamentos só seja realizada para assentar, no mínimo, 15 famílias".
 
"Nos últimos dez anos, vieram outras prioridades. Como é uma terra conquistada, o processo precisa ser retomado", disse a a integrante da secretaria estadual, Edineia Santana. Apesar da promessa, não foi apresentada a documentação com os dados da propriedade rural. O MST pensa na ideia de uma "área experimental" de agricultura.
 
"Muita gente quer terra, e esta aí fica sem ninguém. A fazenda tem o mais importante: água", afirmou o agricultor Florisvaldo à Folha, que conhece pouco a obra de Gilberto Gil e não rejeitaria um pedaço do paraíso. 

Notícias relacionadas