Bahia

Polícia baiana prendeu mais de 640 homicidas este ano, diz SSP

Em nota enviada à imprensa, neste sábado (8), a Secretaria de Segurança Pública afirmou que de 1º de janeiro a 30 de setembro de 2016 a polícia baiana prendeu aproximadamente 640 homicidas, alguns com até 30 mortes confessadas. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Alberto Maraux/ Divulgação1

Por Matheus Morais no dia 08 de Outubro de 2016 ⋅ 14:15

Em nota enviada à imprensa, neste sábado (8), a Secretaria de Segurança Pública afirmou que de 1º de janeiro a 30 de setembro de 2016 a polícia baiana prendeu aproximadamente 640 homicidas, alguns com até 30 mortes confessadas. 

De acordo com a SSP, no ano passado, nesse mesmo período, 400 assassinos tinham sido capturados. Os dados são do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) e representam um aumento de 23% da produtividade quando comparados com o mesmo período do ano passado.

Ainda segundo a nota, o primeiro semestre, em Salvador, também foi marcado por outros aumentos da produtividade. Ocorrências coletadas pela Coordenação de Documentação e Estatística da Polícia Civil (Cdep) revelam o crescimento da atividade policial nas mais diversas modalidades, comparando com os seis primeiros meses de 2015. 

“Os autuados pelo tráfico de drogas, uma das principais causas dos crimes cometidos em Salvador, também tiveram o cerco ainda mais fechado em 2016, o que gerou o aumento de 14% nas prisões por este crime em comparação com 2015”, ressalta a nota.

Na parte de apreensões, quesito armamento, foram 3.737 unidades retirados das mãos de organizações criminosas, nos seis primeiros meses do ano. Em números absolutos são 925 espingardas, 40 fuzis, 25 metralhadoras, 27 carabinas, 24 escopetas, 436 pistolas, 136 garruchas e 2.124 revólveres. Passando para o âmbito de combate às substâncias entorpecentes, foram apreendidas, no mesmo período, pouca mais de 1 tonelada de maconha, cocaína e crack.

“Os números constatam que as polícias estão aprimorando as técnicas de combate à criminalidade e que, apesar das dificuldades, estão evoluindo na busca por Justiça”, garantiu o secretário Maurício Barbosa.

 

 

 

Notícias relacionadas