Bahia

Rui cita morte "fria e cruel" de policial e reconhece: "Vivemos uma guerra"

Em entrevista ao Metro1, nesta sexta-feira (22), o governador Rui Costa comentou sobre as 12 mortes no Cabula em fevereiro, ele afirmou que só vai se pronunciar após as investigações. "Eu parto da presunção de inocência dos policiais. Se houve erro ou crime quem vai dizer são as investigações". [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Manu Dias/GOVBA

Por Juliana Almirante e Bárbara Gomes no dia 22 de Maio de 2015 ⋅ 13:55

Em entrevista ao Metro1, nesta sexta-feira (22), o governador Rui Costa comentou sobre as 12 mortes no Cabula em fevereiro, ele afirmou que só vai se pronunciar após as investigações. "Eu parto da presunção de inocência dos policiais. Se houve erro ou crime quem vai dizer são as investigações".

O governador informou ainda que no dia das mortes no Cabula acionou imediatamente o Ministério Público para investigar o caso. Ele ressaltou a importância da transparência nas investigações e em seguida citou a morte de um policial na última quinta-feira (21), assassinado em serviço na cidade do interior baiano, em São José da Vitória. "Uma verdadeira demonstração de frieza e crueldade", afirmou o governador.

Rui Costa também declarou que, com os dados de violência e assassinatos na Bahia, ele não tem o que comemorar. "Nós vivemos uma guerra. São diversos assassinatos de jovens. Por outro lado, há uma verdadeira comemoração entre o mundo do crime, cada vez que um criminoso é exaltado na imprensa, é sinal de que ficou reconhecido e muito perigoso", concluiu.

Notícias relacionadas