Bahia

Greve de motoristas termina em Alagoinhas

A greve dos condutores de ônibus, micro-ônibus e vans que realizam o transporte escolar entre a zona rural da Bahia e Alagoinhas, que completou, nesta terça-feira (18) dez dias, terminou. Foram ao todo 70 veículos parados e 3.500 alunos de escolas públicas prejudicados. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto :Letícia Verdi/ MEC

Por André Teixeira no dia 18 de Outubro de 2016 ⋅ 14:43

 

Depois de ficar cerca de 10 dias parado, o transporte escolar público voltou a funcionar no município de Alagoinhas, distante cerca de 100 km de Salvador, na manhã desta terça-feira (18). A informação segundo o G1 foi passada pela assessoria da prefeitura da cidade e confirmada por um representante da categoria.

Os condutores do transporte escolar do município estavam em greve por conta do atraso nos salários da categoria. Cerca de 3.500 estudantes da cidade estavam com dificuldade de ir à escola por causa da paralisação.

A greve dos condutores de ônibus, micro-ônibus e vans que realizam o transporte escolar entre a zona rural da Bahia e Alagoinhas, completou, nesta terça-feira (18) dez dias. 

Antes da negociação

Os motoristas que prestam serviço para a prefeitura afirmaram que estavam com o salário atrasado há dois meses.  “A gente tem família, a gente tem os nossos compromissos e a gente não tem mais como arcar. A gente já chegou no limite”, declarou o motorista Marcelo Silva.

Algumas famílias custearam o transporte dos filhos com o próprio dinheiro.  Cerca de 150 alunos organizaram uma manifestação na última segunda-feira (17) com cartazes e apitos, pedindo para que a prefeitura do município solucionasse o problema.

De acordo com os motoristas, a dívida total é de cerca de R$ 1,6 milhão. O secretário do governo, João Rabelo, alegou que o atraso no pagamento aconteceu porque o município demorou de receber a verba do governo federal, mas que o problema já foi resolvido.

Notícias relacionadas