Bahia

Vice-reitor da Ufba fala sobre desrespeito da Coelba com a instituição

O vice-reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Paulo Miguez, falou nesta terça-feira (28), em entrevista ao Metro1, sobre a suspensão do fornecimento de energia elétrica em dois prédios da instituição, na última segunda-feira (27). De acordo com Miguez, o corte no fornecimento aconteceu devido a uma dívida que a UFBA tinha com a Coelba, no valor de R$ 2,3 milhões, referente aos meses de maio e junho deste ano. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/ Youtube

Por Paloma Andrade no dia 28 de Julho de 2015 ⋅ 19:17

O vice-reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Paulo Miguez, falou nesta terça-feira (28), em entrevista ao Metro1, sobre a suspensão no fornecimento de energia em dois prédios da instituição, na última segunda-feira (27). De acordo com Miguez, o corte no fornecimento aconteceu devido a uma dívida que a Ufba tinha com a Coelba, no valor de R$ 2,3 milhões, referente aos meses de maio e junho deste ano. E, mesmo informando à empresa que a dívida seria quitada, houve o corte da energia elétrica. "Informamos à Coelba que já estávamos empenhados [para realizar o pagamento], mas apesar dessa informação, a Coelba cortou o fornecimento de duas unidades nossas e estava prestes a cortar do Palácio da Reitoria. Imediatamente, em contato com o Ministério da Educação, conseguimos a liberação dos recursos, mas a luz já havia sido cortada na escola de Administração e na Politécnica'', explicou. 

O vice-reitor contou que, no momento do corte de energia, acontecia um Seminário Internacional na Escola Politécnica, em uma sala que as portas são abertas por comando eletrônico. "O evento tinha a presença de pesquisadores de várias universidades estrangeiras, que estavam numa sala cujo o acesso se dá com senha eletrônica. Com o corte de luz, as pessoas ficaram presas na sala. Foi um transtorno", afirmou Paulo Miguez. 

Além do seminário, os equipamentos de engenharia também poderiam ter sido prejudicados porque, segundo Miguez, são sensíveis e dependem de um determinado procedimento para serem desligados. "Quando os equipamentos são desligados não significa que, ao ligar a luz, eles voltem a funcionar. O desligamento e religamento sem cuidados necessários pode significar a perda do equipamento que, as vezes, nos custa milhões''. 

Paulo Miguez aproveitou para fazer um apelo à Coelba e cobrou da empresa responsabilidade social para ter uma relação que não seja “meramente comercial”.  “Existe uma coisa chamada responsabilidade social, a Coelba fala bastante disso. E, portanto, esse princípio tem que existir nas relações com a universidade federal. O que a gente quer não é fornecimento de energia gratuitamente. Claro que não! É que ela [a Coelba] compreenda que a instituição está vivendo dificuldades orçamentárias, mas que nem por isso deixará de pagar suas dívidas” , garantiu.  

Notícias relacionadas