Bahia

Carreta carregada de algodão tomba e deixa um ferido em Barreiras

Uma carreta tombou na BR-135, em Barreiras, no oeste da Bahia e deixou uma pessoa ferida, na última sexta-feira (14). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista perdeu o controle da direção, na altura do quilômetro 166 por volta das 22h50. O veículo estava carregado com fardos de algodão. [Leia mais...]

[Carreta carregada de algodão tomba e deixa um ferido em Barreiras ]
Foto :Jadiel Luiz/Blog SigiVilares

Por Jessica Galvão no dia 15 de Julho de 2017 ⋅ 14:29

Uma carreta tombou na BR-135, em Barreiras, no oeste da Bahia e deixou uma pessoa ferida, na última sexta-feira (14). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista perdeu o controle da direção, na altura do quilômetro 166 por volta das 22h50. O veículo estava carregado com fardos de algodão.

O condutor, que seguia sozinha na carreta, disse à polícia que a luz alta do farol de um carro que vinha no sentido contrário, atrapalhou a visão dele e, por conta disso, ele não enxergou o desnível na pista e tombou. A parte da cabine ficou destruída e a mercadoria ficou espalhada pela pista.

O motorista sofreu ferimentos leves e foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em seguida, levado para o Hospital do Oeste para observação. Não há mais informações sobre o estado de saúde dele.

Comentarios

Notícias relacionadas

['Não vamos cobrar terceiro eixo na Bahia', anuncia governador ]
BahiaGREVE DOS CAMINHONEIROS

'Não vamos cobrar terceiro eixo na Bahia', anuncia governador

Por Metro1 no dia 27 de Maio de 2018 ⋅ 12:20 em Bahia

"Estamos fazendo essa proposta aqui. Essa semana transformaremos isso num ato legal. Se a carreta estiver vazia, com o terceiro eixo suspenso, não será cobrado", declarou...

[TRT da Bahia suspende expediente da próxima segunda-feira ]
BahiaGREVE DOS CAMINHONEIROS

TRT da Bahia suspende expediente da próxima segunda-feira

Por Metro1 no dia 26 de Maio de 2018 ⋅ 10:30 em Bahia

A decisão levou em consideração a crise de desabastecimento provocada pela manifestação, o que prejudica o deslocamento e o acesso à Justiça do Trabalho