Bahia

Após recessão, comércio baiano volta a crescer e Fecomércio vê "luz no fim do túnel”

Após um intenso período de recessão, o comércio da Bahia começa a se reerguer. Presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio-BA), Carlos Andrade, afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole nesta segunda-feira (25), que o setor vê uma “luz no fim do túnel” [Leia mais...]

[Após recessão, comércio baiano volta a crescer e Fecomércio vê
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira e Matheus Morais no dia 25 de Setembro de 2017 ⋅ 08:54

Após um intenso período de recessão, o comércio da Bahia começa a se reerguer. Presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio-BA), Carlos Andrade, afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole nesta segunda-feira (25), que o setor vê uma “luz no fim do túnel”. “Apesar dos nossos governantes insistirem em cobrarem demais. Eles foram tão perversos com os setores produtivos. Nós do comércio vamos começar a brigar, nossa arma será em 2018. Brasília é muito cara para o Brasil, pagar deputados senadores e gabinetes luxuosos é caro. E aqui o dinheiro não chega. Nós somos otimistas, estamos pensando positivo”, afirmou.

Eleito o comerciante do ano pela Fecomércio-BA, o empresário e presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL), Alberto da Rocha Nunes, ressaltou que o momento de retração da economia enfrentado por grandes e pequenos comerciantes está ficando no passado. “Os últimos dois anos foram difíceis para o comércio com o desemprego, inflação alta, tudo isso prejudicou o comércio. Quando tem o desemprego, não tem consumo. Mas nos últimos três meses estamos vendo melhoras, com a inflação caindo e a taxa de juros mais baixas, algumas lojas estão voltando a abrir. Nossa expectativa é boa para 2018. A economia está dando sinal de recuperação”, disse.

Notícias relacionadas