Bahia

Empresas de cruzeiros marítimos estudam aportar em Itaparica em 2018

O presidente executivo da Clia Brasil, a associação dos cruzeiros marítimos internacionais, Marco Ferraz, foi entrevistado por Lara Kertész na Rádio Metrópole durante flash ao vivo da 45ª edição da feira da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), que está sendo realizada no Expo Center Norte, em São Paulo. [Leia mais...]

[Empresas de cruzeiros marítimos estudam aportar em Itaparica em 2018]
Foto : Arquivo/Bahiatursa

Por Matheus Simoni no dia 28 de Setembro de 2017 ⋅ 15:30

O presidente executivo da Clia Brasil, a associação dos cruzeiros marítimos internacionais, Marco Ferraz, foi entrevistado por Lara Kertész na Rádio Metrópole durante flash ao vivo da 45ª edição da feira da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), que está sendo realizada no Expo Center Norte, em São Paulo. Em primeira mão, ele revelou que a Ilha de Itaparica está na mira para receber cruzeiros marítimos a partir de 2018. "Estamos fazendo um estudo sobre Itaparica, ali em Calado. Há um pier muito bem posicionado. Temos visitas programadas para ver como seria uma escala lá. Se possível, a gente deve fazer uma já no ano que vem", afirmou Ferraz.

Durante o bate papo, dados sobre a circulação de turistas no país foram revelados, dando conta de que, em todo território brasileiro, 20 navios desembarcaram com turistas entre 2010 e 2011, totalizando 792 mil passageiros. Já no último ano, na temporada 2016-2017, o número caiu para a apenas sete, com 358 mil passageiros.

"O Brasil sofre com quatro pilares. A infraestrutura, já que o país não tem portos turísticos em todos os destinos que a gente quer operar, queremos visitar cidades que não têm nenhum pier no país. Custos, já que custa-se 40% a mais do que o exterior para operar um navio. O terceiro pilar é o de impostos. A gente tem uma carga enorme, inclusive em impostos exclusivos nossos. Temos trabalhando muito nas cidades, estados e no governo federal para reduzir essa carga enorme. Por último, há a regulação, principalmente de trabalho à bordo. Temos uma convenção mundial que a gente respeita, mas no Brasil tem a CLT que atrapalha um pouco com ações trabalhistas", disse o presidente da Clia Brasil.

No entanto, ele revelou que o pior momento do setor já foi ultrapassado. Marco Ferraz destacou ainda que o próximo verão deve representar um crescimento na oferta de navios para turistas que quiserem visitar a Bahia. "Vamos ter uma oferta 12% maior na próxima temporada. A gente vai passar de 430 mil leitos ofertados no fim do ano. A Bahia vai ter 53 escalas dos nossos navios, contando 3,5 mil pessoas em cada escalas, temos mais de 170 mil cruzeiristas chegando em Salvador, fora os navios de passagem, de alto luxo, que dão a volta ao mundo. Temos em Ilhéus também, um destino importante, com mais de 30 escalas. A Bahia é muito importante, a gente busca novos destinos", declarou.

Notícias relacionadas