Bahia

Governador critica MP e diz que relatório sobre ação no Cabula foi precipitado

O governador Rui Costa (PT) criticou o posicionamento do Ministério Público da Bahia por divulgar um relatório, oriundo de uma investigação própria, antes da reconstituição da operação policial que resultou na morte de 12 homens no dia 6 de fevereiro. De acordo com o relatório, as vítimas teriam sido executadas pelos policiais que participaram da ação. Na reconstituição da ação da PM, finalizada na última quinta-feira (28), o Departamento de Polícia Técnica (DPT) afirmou que há sinais de confronto entre criminosos e policiais no Cabula. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Simoni no dia 01 de Junho de 2015 ⋅ 20:15

O governador Rui Costa (PT) criticou o posicionamento do Ministério Público da Bahia por divulgar um relatório, oriundo de uma investigação própria, antes da reconstituição da operação policial que resultou na morte de 12 homens no dia 6 de fevereiro. De acordo com o relatório, as vítimas teriam sido executadas pelos policiais que participaram da ação. Na reconstituição da operação da PM, finalizada na última quinta-feira (28), o Departamento de Polícia Técnica (DPT) afirmou que há sinais de confronto entre criminosos e policiais no Cabula.

Em entrevista à Itapoan FM, durante o programa Se Liga Bocão desta segunda-feira (1), Rui preferiu não comentar o relatório do MP. "O Ministério Público fez uma opção. Eu não quero opinar. Eles se anteciparam à reconstituição do crime e eu não quero me posicionar", declarou. Para o governador, houve uma precipitação por parte do órgão na divulgação do relatório. "O Ministério Público se manifestou antes dessa reconstituição. Eles tiveram essa opção de divulgar esse relatório. Eu respeito, mas não concordo", disse Rui Costa.

Notícias relacionadas