Bahia

Nove trabalhadores são resgatados em situação análoga à de escravidão no oeste baiano

Segundo a PRF, eles haviam saído às 7h da cidade de Seabra (BA) e seriam transportados, em um percurso de cerca de mil quilômetros, até o município de Paraíso do Tocantins (TO)

[Nove trabalhadores são resgatados em situação análoga à de escravidão no oeste baiano]
Foto : Divulgação / PRF-BA

Por Juliana Rodrigues no dia 14 de Setembro de 2019 ⋅ 18:38

Nove trabalhadores em condição análoga à escravidão foram resgatados durante fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) ontem (13). A ação aconteceu no Km 685 da BR 242, na cidade de Cristópolis, oeste baiano, a cerca de 800 quilômetros de Salvador.

Durante abordagem a um caminhão, agentes perceberam que a porta traseira do compartimento de carga estava aberta. Em seguida, flagraram os trabalhadores, que estavam sobre caixas de papelão e paletes no assoalho do veículo. Segundo a PRF, eles eram transportados soltos no baú, sem ventilação, em condições inseguras e degradantes, o que ocasiona iminente risco de asfixia e acidente grave.

Os trabalhadores haviam saído às 7h da cidade de Seabra (BA) e seriam transportados, em um percurso de cerca de mil quilômetros, até o município de Paraíso do Tocantins (TO), onde iriam trabalhar na construção de um galpão para uma empresa local.

Os policiais retiraram os trabalhadores do caminhão e fizeram contato com a Secretaria do Trabalho, subordinada ao Ministério da Economia. Foi providenciado transporte dos trabalhadores até à Gerência Regional do órgão em Barreiras, onde eles foram ouvidos pelos auditores.

Ainda segundo a PRF, os custos com hospedagem, alimentação e transporte, inclusive para retorno dos trabalhadores às localidades de origem, ficarão sob a responsabilidade dos proprietários da empresa contratante. A apuração das irregularidades constatadas ficará a cargo do Ministério da Economia e resultará na aplicação de penalidade administrativa por meio da lavratura de autos de infração, além de punições civis e penais.

Notícias relacionadas

[Embasa nega favorecimento de empresas em contratos ]
Bahia

Embasa nega favorecimento de empresas em contratos 

Por Metro1 no dia 18 de Outubro de 2019 ⋅ 07:58 em Bahia

“As dispensas de licitações são previstas legalmente para garantir a continuidade da prestação de serviços essenciais para população", diz a empresa