Brasil

Skatista volta pra casa depois de 4 dias desaparecido

Ele estava desaparecido desde o último sábado, dia 26.O retorno do skatista foi anunciada pela cunhada dele Fabiana Gaspar, através de uma conta nas rede sociais. Segundo ela, a família ainda não sabe o que motivou o sumiço, mas, Digo apresentava estar muito abalado e foi descansar.[Leia mais...]

[Skatista volta pra casa depois de 4 dias desaparecido ]
Foto : Reprodução / Wikipédia

Por Milene Rios no dia 30 de Dezembro de 2015 ⋅ 12:02

Rodrigo Menezes, o "Digo",  Primeiro brasileiro campeão do mundo de skate, em 1995, reapareceu após ficar dias sem dar notícias aos amigos e familiares. Ele estava desaparecido desde o último sábado, dia 26.  O retorno do skatista foi anunciada pela cunhada dele Fabiana Gaspar, através de uma conta nas rede sociais. Segundo ela, a família ainda não sabe o que motivou o sumiço, mas, Digo apresentava estar muito abalado e foi descansar. A mãe foi busca-lo na casa de uma conhecida da família, depois dele ter entrado em contato na manhã desta quarta-feira (30).

"Ele chegou em casa muito abalado e não consegue falar nada. Não foi nada relacionado a crime, e ele tomou um banho e foi dormir. Assim que ele acordar, vai fazer um post para explicar tudo o que aconteceu. A gente agradece muito o que todos fizeram para ajudar", escreveu Fabiana, afirmando que em breve o skatista deve falar sobre o assunto nas redes sociais. 

De acordo com a família, Rodrigo saiu de casa por volta das 15h e disse que iria se encontrar com uma menina que "estava conhecendo". Por volta de meia-noite, ele teria voltado para a casa, chegou a encostar o carro na garagem, na Vila Madalena, em São Paulo, mas saiu novamente. Desde então, não teria aparecido mais. A foto dele chegou a entrar na lista de desaparecidos, mas a família retirou a queixa prestada através da Delegacia Eletrônica.

Comentarios

Notícias relacionadas

[Rosa Weber é eleita presidente do TSE]
Brasil

Rosa Weber é eleita presidente do TSE

Por Metro1 no dia 20 de Junho de 2018 ⋅ 13:40 em Brasil

Ministra vai presidir as eleições de outubro e deve permanecer no cargo até maio de 2020