Brasil

MP identifica falhas e investiga licenciamento da barragem de Fundão

De acordo com informações do órgão, a licença prévia para a obra em Mariana foi concedida pelo governo estadual, em 2007,sem que a mineradora apresentasse o projeto executivo, que reúne todas as informações essenciais de uma intervenção deste porte. [Leia mais...]

[MP identifica falhas e investiga licenciamento da barragem de Fundão]
Foto : Reprodução / Globo

Por Camila Tíssia no dia 18 de Janeiro de 2016 ⋅ 10:36

Realizada pela Samarco, a construção da barragem de Fundão, que rompeu em novembro, é investigada pelo Ministério Público de Minas Gerais. De acordo com informações do órgão, a licença prévia para a obra em Mariana foi concedida pelo governo estadual, em 2007, na gestão de Aécio Neves, sem que a mineradora apresentasse o projeto executivo, que reúne todas as informações essenciais de uma intervenção deste porte.

Ainda segundo o MP, técnicos do governo solicitaram a realização de um estudo sobre o escoamento da água. A barragem é vizinha à pilha de estéril — materiais descartados durante a mineração — da Vale, uma das donas da Samarco. Havia a preocupação de que, com a ampliação da barragem, as duas estruturas pudessem se encontrar. O estudo, segundo a investigação, também não foi apresentado. As informações foram reveladas nesse domingo, na TV Globo e plubicadas, hoje, pelo Globo.

"O Ministério Público, desde o início, analisou o licenciamento com a maior profundidade possível. Podemos apontar com grande exatidão que ele [licenciamento] foi decisivo para que ocorresse essa tragédia", afirma o promotor Carlos Eduardo Ferreira, um dos responsáveis pelo caso.

O rompimento da barragem deixou 17 mortos e dois desaparecidos. A enxurrada de lama provocou transtornos em cidades de Minas Gerais e do Espírito Santo. Além da tragédia social, os impactos ambientais também foram expressivos: depois de contaminar o Rio Doce, a lama chegou ao Oceano Atlântico, no Espírito Santo, e agora o Ibama investiga se os resíduos já alcançaram o litoral sul da Bahia e o Arquipélago de Abrolhos. 

Notícias relacionadas

[Saída de cubanos poderá deixar 611 cidades sem médicos]
Brasil

Saída de cubanos poderá deixar 611 cidades sem médicos

Por Juliana Rodrigues no dia 18 de Novembro de 2018 ⋅ 07:30 em Brasil

Segundo o presidente do Conasems, profissionais de Cuba foram os únicos a aceitar trabalhar em unidades de saúde que ficam em cidades mais isoladas ou pobres

[Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 37 milhões]
Brasil

Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 37 milhões

Por Marina Hortélio no dia 17 de Novembro de 2018 ⋅ 10:30 em Brasil

As apostas podem ser realizadas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet