Brasil

Cobrança extra na conta de luz deve reduzir a partir de fevereiro

A partir de fevereiro, o sistema de bandeiras tarifárias de energia, que aplica uma cobrança extra nas contas de luz, terá mudanças. As alterações foram aprovadas, nesta terça-feira (26), pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a principal delas é a criação de um novo patamar de cobrança. [Leia mais...]

[Cobrança extra na conta de luz deve reduzir a partir de fevereiro]
Foto : Reprodução / Agência Brasil

Por Camila Tíssia no dia 26 de Janeiro de 2016 ⋅ 16:23

A partir de fevereiro, o sistema de bandeiras tarifárias de energia, que aplica uma cobrança extra nas contas de luz, terá mudanças. As alterações foram aprovadas, nesta terça-feira (26), pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a principal delas é a criação de um novo patamar de cobrança.

Com isso, as contas de luz devem ficar mais baratas partir de 1º de fevereiro, já que o valor da tarifa extra a ser paga pelos consumidores (bandeira vermelha) deve cair dos atuais R$ 4,50 para R$ 3,00 a cada 100 killowatts-hora (kWh) de energia consumidos.

Hoje, o sistema tem três patamares, representados pelas bandeiras verde, amarela e vermelha. Na verde, não há custo adicional e, portanto, os consumidores não pagam nada a mais. A amarela significa que houve algum aumento no custo para gerar energia e, a vermelha, que esse custo de produção está muito alto. Nesses dois últimos casos, hoje é prevista taxa extra de, respectivamente, de R$ 2,50 e R$ 4,50 para cada 100 kWh consumidos.

De acordo com publicação do G1, a Aneel decidiu que a bandeira vermelha será dividida em dois patamares: um mais barato, com cobrança extra de R$ 3,00 para cada 100 kWh, e outro mais caro, que mantém o valor de R$ 4,50 por 100 kWh consumidos. Como hoje estão sendo cobrados R$ 4,50, haveria uma redução de 33% desconto do custo extra representado pelo acionamento da bandeira vermelha máxima nas tarifas de energia.

Comentarios

Notícias relacionadas

[Rosa Weber é eleita presidente do TSE]
Brasil

Rosa Weber é eleita presidente do TSE

Por Metro1 no dia 20 de Junho de 2018 ⋅ 13:40 em Brasil

Ministra vai presidir as eleições de outubro e deve permanecer no cargo até maio de 2020