Brasil

Ministro afirma que dar trabalho a jovens é melhor que reduzir maioridade penal

"Acredito que, muito melhor que a redução da maioridade, é trabalharmos na prevenção, permitindo dar oportunidade ao nosso jovem adolescente para sair do mundo crime e entrar no mundo do trabalho". A afirmação foi feita pelo ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, durante cerimônia realizada nesta quarta-feira (17) para comemorar a marca de 5 milhões de microempreendedores individuais (MEIs), alcançada em junho. [Leia mais...]

[Ministro afirma que dar trabalho a jovens é melhor que reduzir maioridade penal ]
Foto : Divulgação

Por Matheus Simoni no dia 17 de Junho de 2015 ⋅ 15:12

"Acredito que, muito melhor que a redução da maioridade, é trabalharmos na prevenção, permitindo dar oportunidade ao nosso jovem adolescente para sair do mundo crime e entrar no mundo do trabalho". A afirmação foi feita pelo ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, durante cerimônia realizada nesta quarta-feira (17) para comemorar a marca de 5 milhões de microempreendedores individuais (MEIs), alcançada em junho.

O ministro pediu ainda um "grande mutirão" para que as micro e pequenas empresas contratem adolescentes por meio da Lei do Aprendiz. "A escola do trabalho, ao lado da escola [convencional], sempre foi uma grande escola. Todo mundo que começou aos 14 anos deu exatamente o passo inicial de carreiras de sucesso", declarou.

Afif atribuiu o recente aumento da formalização, principalmente,  à redução de 11% para 5% dos encargos previdenciários para os inscritos no programa. "A proposta é simplificar, desburocratizar. Quando todos pagam menos, o governo arrecada mais. Esse deve ser o conceito: aumentar a base de tributação e não aumentar o tributo", disse ele.

Notícias relacionadas

[Fux determina prisão de Cesare Battisti]
Brasil

Fux determina prisão de Cesare Battisti

Por Alexandre Galvão no dia 14 de Dezembro de 2018 ⋅ 07:00 em Brasil

Battisti é acusado de ser o autor de quatro assassinatos na Itália, que teriam sido cometidos entre os anos de 1977 e 1979