Brasil

Ministro da Justiça decide deixar governo de Dilma Rousseff

O atual ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, deve deixar o governo nesta semana. A decisão foi revelada a interlocutores devido a rumores de que o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva seria alvo de quebras de sigilos bancário, telefônico e fiscal no âmbito da Operação Lava Jato. [Leia mais...]

[Ministro da Justiça decide deixar governo de Dilma Rousseff]
Foto : Agência Brasil

Por Gabriel Nascimento no dia 29 de Fevereiro de 2016 ⋅ 06:26

O atual ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, deve deixar o governo nesta semana. A decisão foi revelada a interlocutores devido a rumores de que o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva seria alvo de quebras de sigilos bancário, telefônico e fiscal no âmbito da Operação Lava Jato. Pressionado pelo PT, Cardozo se sente injustiçado.

No último sábado (27), Lula disse ser perseguido pela Polícia Federal (PF) e pelo Ministério Público (MP) ao participar da festa de 36 anos do partido. "Recebi uma intimação de que, a partir de segunda-feira, vão quebrar meu sigilo bancário, telefônico, fiscal. O meu, da Marisa, do meu neto, se precisar até da minha netinha de um mês", afirmou Lula. "Se esse for o preço que a gente tem que pagar para provar nossa inocência, que façam", ressaltou.

De acordo com o jornal Estado de S. Paulo, durante conversas com amigos no domingo (28), Cardozo não escondeu o seu aborrecimento com os ataques e afirmou que o PT não entende o seu papel quando critica a falta de controle sobre a PF. O ministro disse ainda que a corporação tem autonomia para fazer investigações e ele só pode atuar em caso de violação de direitos. Uma comissão com dez deputados federais do PT, esteve no gabinete de Cardozo, na última segunda-feira (22), para fazer uma nova reclamação. Os parlamentares cobraram providências sobre as investigações relativas a Lula e pediram que a PF centrasse fogo na apuração de denúncias contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardozo.

A prisão do publicitário baiano João Santana, também reforçou a pressão feita por setores do PT, com o apoio do ex-presidente para que Cardozo seja substituído. No último ano, o então ministro da Justiça, chegou a comunicar Dilma a intenção de deixar o cargo, mas atendeu a um apelo e permaneceu. Já na época, ele já era alvo de críticas do PT por conta da operação Lava Jato.

O ex-chefe do Ministério Público da Bahia Wellington Cesar Lima e Silva pode assumir o cargo. 

Notícias relacionadas