Brasil

Dona de empresa desmascara falsa carta que preveria morte de Cristiano Araújo

O cantor sertanejo Cristiano Araújo e sua namorada, Allana Moraes, morreram na madrugada da última terça-feira (24) após um acidente na BR-153, entre Morrinhos e o trevo de Pontalina, em Goiás. A notícia chocou milhares de fãs espalhados pelo Brasil e deixou de luto os diversos cantores do segmento. Ao mesmo tempo que a notícia do acidente se espalhava, surgiu um boato de que um vidente teria avisado o cantor dias antes da fatalidade.[Leia mais...]

[Dona de empresa desmascara falsa carta que preveria morte de Cristiano Araújo]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Simoni no dia 24 de Junho de 2015 ⋅ 18:41

O cantor sertanejo Cristiano Araújo e sua namorada, Allana Moraes, morreram na madrugada da última terça-feira (24) após um acidente na BR-153, entre Morrinhos e o trevo de Pontalina, em Goiás. A notícia chocou milhares de fãs espalhados pelo Brasil e deixou de luto os diversos cantores do segmento. Ao mesmo tempo que a notícia do acidente se espalhava, surgiu um boato de que um vidente teria avisado o cantor dias antes da fatalidade. Diversos jornais publicaram que o vidente Jucelino Nóbrega da Luz havia enviado uma carta para o artista, onde informava sobre a tragédia.

Porém, tal envio trata-se de uma mentira. A empresária Amanda Loreto, dona da empresa mencionada pelo vidente como destinatária da carta, tratou de desmascarar o farsante. "Esta carta nunca foi enviada ao meu escritório, cujo endereço ele informa na carta. Ele enviou hoje, depois da notícia do falecimento do Cristiano, por e-mail para minha funcionária Giovanna", afirmou a empresária, em uma publicação no Facebook.

Esta não é a primeira vez que Jucelino da Luz tenta se passar como vidente. Em 2014, o suposto vidente afirmou ter enviado uma carta para o ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (PSB), alertando do acidente aéreo que acabou tirando sua vida, no dia 13 de agosto daquele ano. Segundo Jucelino, a carta tinha sido enviada em 2005 para o governo pernambucano. Toda a mentira havia sido desmascarada pelo site e-farsas.

Notícias relacionadas