Brasil

"É uma farsa", diz empresária sobre vidente que preveu morte de cantor sertanejo

A empresária Amanda Loreto falou sobre o suposto vidente Jucelino da Luz que teria enviado uma carta alertando o cantor Cristiano Araújo do acidente que tiraria sua vida. Segundo ela, trata-se de uma fraude tudo aquilo que foi divulgado na imprensa sobre o contato da sua empresa com o vidente. "Ele mandou esse e-mail pra gente hoje, por volta de 10h da manhã, depois de terem noticiado a morte do Cristiano Araújo. Ele fala que mandou a carta pelos Correios, mas isso é mentira. Nunca chegou nada para gente", disse ela, em contato com o Metro1. [Leia mais...]

[
Foto : Reprodução

Por Matheus Simoni no dia 24 de Junho de 2015 ⋅ 19:48

A empresária Amanda Loreto falou sobre o suposto vidente Jucelino da Luz que teria enviado uma carta alertando o cantor Cristiano Araújo do acidente que tiraria sua vida. Segundo ela, trata-se de uma fraude tudo aquilo que foi divulgado na imprensa sobre o contato da sua empresa com o vidente. "Ele mandou esse e-mail pra gente hoje, por volta de 10h da manhã, depois de terem noticiado a morte do Cristiano Araújo. Ele fala que mandou a carta pelos Correios, mas isso é mentira. Nunca chegou nada para gente", disse ela, em contato com o Metro1

Na madrugada desta quarta-feira (24), o cantor Cristiano Araújo e sua namorada Allana Moraes morreram um acidente acidente de carro em Goiás. Logo após a notícia da morte do sertanejo, Jucelino da Luz publicou a suposta carta ao cantor. Amanda afirmou ter ficado surpresa com a repercussão e disse que a fama negativa de Jucelino comprova toda a mentira. "Isso é uma farsa. Eu já estava lendo sobre ele na internet. Ele já preveu várias coisas, mas só falava delas depois delas terem acontecido. Se isso tivesse recebido, eu teria passado para o empresário do Cristiano. Mas nada disso aconteceu", completou. 

Notícias relacionadas

[STF define que é crime fugir do local do acidente de trânsito]
Brasil

STF define que é crime fugir do local do acidente de trânsito

Por Marina Hortélio no dia 14 de Novembro de 2018 ⋅ 21:00 em Brasil

A maioria dos magistrados compreendeu que a punição para quem deixa o local do acidente não fere a garantia do cidadão de não ser obrigado a produzir prova contra si mesm...