Brasil

Presidente da OAB declara ser contra ajustes no setor da saúde

O presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, declarou ser contra os ajustes fiscais promovidos pelo governo nos setores da saúde, educação e segurança pública. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Valter Campanato/ Agência Brasil

Por Luiza Leão no dia 09 de Agosto de 2016 ⋅ 16:28

O presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, declarou ser contra os ajustes fiscais promovidos pelo governo nos setores da saúde, educação e segurança pública. A afirmação foi dita durante a audiência pública Saúde na UTI, organizada pela OAB e representantes do governo federal, realizada nesta terça-feira (9).

Na ocasião, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, esteve presente e concordou que é preciso ampliar o financiamento da saúde. Entretanto, defendeu que "é possível produzir, com os recursos que temos , mais qualidade e quantidade para os brasileiros". Ele destacou ainda que o governo tem buscado formas de diminuir a judicialização da saúde através de parceria com o Conselho Nacional de justiça, que prevê melhorias na gestão, no financiamento e o aperfeiçoamento do sistema informações.

O presidente do Conselho da OAB lembrou que mais de 70% da população brasileira depende do Sistema Único de Saúde (SUS). Em nome da Ordem, garantiu que a entidade é contra qualquer tentativa de corte ou contingenciamento de recursos, principalmente no setor da saúde.

Notícias relacionadas

[PGR defende prisão do fundador da Pague Menos]
Brasil

PGR defende prisão do fundador da Pague Menos

Por Marina Hortélio no dia 16 de Outubro de 2018 ⋅ 15:00 em Brasil

No recurso, Francisco Deusmar de Queirós contesta a decisão do STJ que manteve a execução provisória de pena

[Apenas 3,3% dos estudantes brasileiros querem ser professores]
Brasil

Apenas 3,3% dos estudantes brasileiros querem ser professores

Por Alexandre Galvão no dia 15 de Outubro de 2018 ⋅ 10:20 em Brasil

Os países com os maiores percentuais de estudantes que querem ser professores são Argélia, onde 21,7% dos estudantes querem ser professores, e Kosovo, onde esse percentua...