Brasil

Homicídios cometidos por policiais aumentaram 85% nas vésperas da Rio 2016

O número de homicídios por policiais militares na cidade do Rio de Janeiro aumentou, comparado ao ano passado, em 85% de abril a julho deste ano, os quatro meses que antecederam os Jogos Olímpicos 2016. O Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro registrou 168 homicídios decorrentes de operações policiais neste período, em 2015, o total foi de 91. Considerando apenas os meses de abril a junho, em relação ao ano passado, o aumento foi de 103%. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Paulo Vitor/ GERJ

Por Laura Lorenzo no dia 15 de Setembro de 2016 ⋅ 19:05

O número de homicídios por policiais militares na cidade do Rio de Janeiro aumentou, comparado ao ano passado, em 85% de abril a julho deste ano, os quatro meses que antecederam os Jogos Olímpicos 2016. O Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro registrou 168 homicídios decorrentes de operações policiais neste período, em 2015, o total foi de 91. Considerando apenas os meses de abril a junho, em relação ao ano passado, o aumento foi de 103%.

Esse levantamento faz parte do relatório do documentário Legado de Violência: Homicídios pela Polícia e Repressão a Protestos na Olimpíada Rio 2016, que foi lançado nesta quinta-feira (15) pela organização Anistia Internacional. Segundo os dados da pesquisa, desde janeiro 244 pessoas morreram nestas condições. Em 2015 foram 200 homicídios até julho, ou seja, foi um crescimento de 22% no número de assassinatos. Em todo o estado do Rio de janeiro, comparando os meses que antecederam a abertura das Olimpíadas, houve um aumento de cerca de 56% em comparação com os dados do ano passado. 

“A Polícia do Rio de Janeiro é conhecida por matar muito e, com a intensificação das operações e do número de policiais, os homicídios também aumentaram, é pura matemática”, lamentou a assessora de Direitos Humanos da Anistia Internacional, Renata Neder. Ela ressaltou o fato das autoridades terem tido sete anos para adotar medidas que reduzissem ou evitassem os homicídios em operações policiais. A assessora disse ainda que o que resta agora é esperar que esses homicídios sejam devidamente e rapidamente investigadas e os autores, responsabilizadas.  "A impunidade nos casos de violência policial alimenta o ciclo de violência da Polícia”, finalizou. Os policiais informaram também que estiveram envolvidos em 217 tiroteios durante operações de segurança no estado no período da Olimpíada.

Durante os Jogos, o Comando Geral da Polícia Militar informou à Anistia que 12 pessoas foram mortas em operações policiais no Rio em 15 dias, entre 5 e 21 de agosto, e 44 pessoas foram mortas em eventos onde as forças de segurança não estavam envolvidas.

Em resposta aos números levantados, a Anistia entregou também nesta quinta à Secretaria Pública do Estado do Rio de Janeiro um documento com cerca de 210 mil assinaturas de pessoas de mais de 20 nacionalidade em defesa aos direitos humanos na Rio 2016.

Notícias relacionadas