Brasil

Medida Provisória prevê reformulação do ensino médio

A Medida Provisória, estabelecendo a partir de 2017, mais horas de aulas e menos disciplinas, com metade do curso montado pelo aluno, será assinada pelo governo Michel Temer ainda este ano. Segundo fontes do Ministério da Educação (MEC) esta será a maior mudança no ensino em 20 anos, desde a criação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Agência Brasil

Por M1 no dia 22 de Setembro de 2016 ⋅ 17:22

A Medida Provisória, que vai estabelecer a partir de 2017, mais horas de aulas e menos disciplinas, com metade do curso montado pelo aluno, será assinada pelo governo Michel Temer. Segundo fontes do Ministério da Educação (MEC) esta será a maior mudança da educação brasileira em 20 anos, desde a criação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação. 

A informação foi publicada nesta quinta feira pelo Estadão e segundo a nota "a reformulação tem o objetivo de evitar a evasão escolar e melhorar a qualidade. Com a nova proposta, a carga horária passa de 800 para 1,4 mil horas/ano -, exigindo turno integral". 

A matéria diz também que o currículo, que hoje tem 13 disciplinas obrigatórias, sofrerá modificações. "Durante todo o primeiro ano e metade do segundo, o estudante seguirá aprendendo o básico de cada matéria, com base nos pilares que já norteiam o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem): Linguagens, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Matemática". 

A medida provisória no entanto vem causando polêmica entre entidades do setor, "por causa do "atalho" proposto pelo ministro da Educação, Mendonça Filho".  Para os críticos da Medida o "fato de propor as mudanças por meio de Medida Provisória (que vigora a partir da publicação no Diário Oficial da União) e não projeto de lei, com trâmite no Congresso e discussão mais ampla".

Notícias relacionadas

[Acidentes de trânsito com vítimas caem 18% até agosto]
Brasil

Acidentes de trânsito com vítimas caem 18% até agosto

Por Matheus Simoni no dia 21 de Outubro de 2018 ⋅ 07:30 em Brasil

De janeiro a agosto, segundo relatórios, o total de indenizações pagas por acidentes somaram 216.023, contra 263.841 registrados no mesmo período do ano passado