Brasil

Pardal: TSE já recebeu mais de 32 mil denúncias por aplicativo

A Justiça Eleitoral já recebeu 32.070 registros pelo aplicativo Pardal, a sete dias das eleições municipais no Brasil. A ferramenta permite que os eleitores façam denúncias de propaganda eleitoral irregular, nas ruas, internet, além de veículos de comunicação e foi lançada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no dia 18 de agosto. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Divulgação/TRE

Por Camila Tíssia no dia 25 de Setembro de 2016 ⋅ 20:12

A Justiça Eleitoral já recebeu 32.070 registros pelo aplicativo Pardal, a sete dias das eleições municipais no Brasil. A ferramenta permite que os eleitores façam denúncias de propaganda eleitoral irregular, nas ruas, internet, além de veículos de comunicação e foi lançada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no dia 18 de agosto.

A denúncia de irregularidade praticada por candidatos e partidos políticos pode ser feita por qualquer cidadão. Ela é feita pelo próprio aplicativo, com o envio de fotos, vídeos ou áudios que comprovem indícios de crime. O material é encaminhado automaticamente para análise do Ministério Público Eleitoral, que avalia a consistência das informações recebidas e pode formalizar denúncias aos juízes eleitorais de cada localidade.

É possível também denunciar outras irregularidades como compra de votos, uso da máquina administrativa ou gastos irregulares. As denúncias que envolvem a propaganda eleitoral somam 51,93% dos registros. Segundo o TSE, por ser o estado mais populoso e com o maior número de eleitores e, também, de candidatos, São Paulo é recordista de denúncias pelo aplicativo Pardal com um total de 6.444 registros.

Veja aqui quais são as condutas proibidas aos candidatos durante a campanha.

Notícias relacionadas

[PF deflagra 60ª Fase da Operação Lava Jato]
Brasil

PF deflagra 60ª Fase da Operação Lava Jato

Por Clara Rellstab no dia 19 de Fevereiro de 2019 ⋅ 07:39 em Brasil

Os mandados são cumpridos em endereços ligados a Paulo Vieira de Souza e ao ex-senador pelo PSDB Aloysio Nunes Ferreira Filho