Brasil

Justiça proíbe registro e votação de Dilma termina em confusão no RS

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) votou, no início da tarde deste domingo (2), em meio a um tumulto em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. De acordo com informações do portal Uol, houve quebra-quebra na seção eleitoral devido a uma decisão da Justiça Eleitoral, que proibiu o registro de voto da petista.[Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/O Globo

Por Gabriel Nascimento no dia 02 de Outubro de 2016 ⋅ 16:00

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) votou, no início da tarde deste domingo (2), em meio a um tumulto em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. De acordo com informações do portal Uol, houve quebra-quebra na seção eleitoral devido a uma decisão da Justiça Eleitoral, que proibiu o registro de voto da petista, por parte dos jornalistas.

Ao chegar na Escola Estadual Santos Dummont, a ex-presidente foi recepcionada por manifestantes com flores e cartazes contra o presidente Michel Temer (PMDB). Ainda segundo o Uol, a presença dos militantes atrapalhou a entrada da ex-presidente à zona eleitoral, o que fez a Polícia Militar agir. Alguns manifestantes chegaram a relatar agressão. A confusão aumentou quando os jornalistas foram impedidos de entrar na zona eleitoral.

O candidato do PT à prefeitura de Porto Alegre, Raul Pont, a vice Silvana Conti e o ex-ministro Miguel Rossetto, que acompanhavam Dilma também não puderam entrar na seção. A ex-presidente classificou o ato como "indigno da democracia brasileira".

Notícias relacionadas