Brasil

“É muito difícil fazer filme no Brasil”, lamenta diretora de “Jonas” a MK no JMD

A diretora Lô Politi conversou com Mário Kertész nessa sexta-feira (28) sobre o filme “Jonas”, que estreou na última quinta-feira (27). Responsável pelo roteiro e direção do longa, Lô contou o processo de concepção da obra, que traz nomes como Jesuíta Barbosa, Laura Neiva e os cantores Criolo e Karol Conká. O filme recebeu o Prêmio Especial do Júri da mostra Novos Rumos no Festival do Rio 2015 [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/Facebook

Por Bárbara Silveira e Gabriel Nascimento no dia 28 de Outubro de 2016 ⋅ 12:41

A diretora Lô Politi conversou com Mário Kertész nessa sexta-feira (28) sobre o filme “Jonas”, que estreou na última quinta-feira (27). Responsável pelo roteiro e direção do longa, Lô contou o processo de concepção da obra, que traz nomes como Jesuíta Barbosa, Laura Neiva e os cantores Criolo e Karol Conká. O filme recebeu o Prêmio Especial do Júri da mostra Novos Rumos no Festival do Rio 2015.

“Tem três anos que a gente filmou. Eles [atores] eram completamente desconhecidos e hoje são super conhecidos. Tem uma participação especial do Chay Suede, que é o mais famoso de todos. É muito difícil fazer filme no Brasil. Escrevi [o filme] com mais dois roteiristas, há 8 anos. A ideia eu tive há 10 anos, o roteiro levou  4 anos pra ser escrito e depois, muito tempo pra conseguir realizar. Mas não é muito raro isso no cinema nacional, mas depois que fica pronto vale a pena”, lembrou. 

O drama conta a história de Jonas (Jesuíta Barbosa), um rapaz pobre, filho de uma empregada doméstica, que nutre uma paixão platônica desde a infância por Branca (Laura Neiva), filha dos patrões de sua mãe. Jonas não consegue aceitar o fato de Branca se envolver com outros homens e, na véspera do Carnaval, sequestra a moça e a esconde no interior de um carro alegórico. O filme se passa nas ruas da Vila Madalena, em São Paulo, e traz o rapper Criolo como Dandão, chefe do tráfico da região, que também se envolve com Branca. 

Em entrevista recente, Criolo destacou a satisfação em fazer parte do filme. “Tudo aconteceu quando a Lô Politi me convidou para fazer o filme, ele é especial. Eu tenho uma singela participação e estou muito feliz", disse.

Assista o trailer de Jornas: 

 

 

 

Notícias relacionadas