Brasil

95 mil alunos devem fazer o Enem em dezembro por conta de escolas ocupadas

Cerca de 95 mil estudantes que fariam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste fim de semana (5 e 6) terão um mês a mais para se preparar para as provas. Isso porque o Ministério da Educação (MEC) está analisando a hipótese de realizar o exame nos dias 6 e 7 de dezembro (terça e quarta-feira) para os inscritos que prestariam o exame em instituições que estão atualmente ocupadas. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Suami Dias/ GOVBA

Por Laura Lorenzo no dia 31 de Outubro de 2016 ⋅ 14:52

Cerca de 95 mil estudantes que fariam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste fim de semana (5 e 6) terão um mês a mais para se preparar para as provas. Isso porque o Ministério da Educação (MEC) está analisando a hipótese de realizar o exame nos dias 6 e 7 de dezembro (terça e quarta-feira) para os inscritos que prestariam o exame em instituições que estão atualmente ocupadas. 

A data já havia sido estabelecida para candidatos privados de liberdade e para jovens sob medida socioeducativa, que fazem uma prova diferente mas que, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), tem o mesmo rigor que o exame feito pelos alunos em novembro. A prova será feita nesta edição do Enem também pelos estudantes em liberdade cujos locais realização do exame estão ocupados. 

De acordo com a apuração do jornal O Estado de S. Paulo, não haveria tempo o suficiente para que uma terceira prova fosse elaborada, por isso, esta é a opção mais viável para o MEC.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, tinha pedido que os estudantes desocupassem voluntariamente as instituições até o prazo desta segunda-feira (31). Contudo, de acordo com o levantamento divulgado na noite da última sexta-feira (28) pela União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes), 1.197 escolas permanecem ocupadas em 10 estados do país e no Distrito Federal (DF).

O MEC informou que só deve se pronunciar oficialmente sobre o assunto na terça-feira, uma vez que o prazo para a desocupação das instituições ainda não acabou, mas garantiu estar acompanhando o caso com “muita responsabilidade”.

Ocupação

A ocupação das escolas pelos estudante é um protesto contra a medida provisória que determinou a reforma do ensino médio,  a PEC do Teto, que congela os investimentos públicos, incluindo a área de educação, por até 20 anos, e também contra o projeto Escola Sem Partido, que tramita no Congresso Nacional.

Notícias relacionadas