Brasil

Usuários do Mais Médicos dão nota nove em avaliação do programa

De acordo com um levantamento feito pelo Grupo de Opinião Pública da Universidade Federal de Minas Gerais, usuários do Mais Médicos dão nota 9 ao programa criado em 2013 pelo governo federal para levar médicos a regiões carentes do país.. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

Por Matheus Simoni no dia 31 de Julho de 2015 ⋅ 18:23

De acordo com um levantamento feito pelo Grupo de Opinião Pública da Universidade Federal de Minas Gerais, usuários do Mais Médicos dão nota 9 ao programa criado em 2013 pelo governo federal para levar médicos a regiões carentes do país. Ainda segundo a pesquisa, 54% dos usuários entrevistados atribuíram nota 10. Encomendado pelo Ministério da Saúde, o estudo aponta que a maioria dos pacientes atendidos pelos médicos estrangeiros não sentiu dificuldades na comunicação, diferentemente do que os que são contra o programa pensavam.

Os dados revelam que 84% não tiveram dificuldades de entendimento e que apenas 2% sentiram muita dificuldade. A pesquisa aponta também o perfil do usuário do programa. A maioria (80%) dos pacientes são mulheres, com filhos, renda de até dois salários mínimos e que 40% recebem bolsa família. "Isso mostra que o programa está atendendo o público alvo", explica a coordenadora da pesquisa, Helcimara Telles. Para ela, o que faz com que o programa seja bem avaliado é o atendimento médico.

"Mesmo que a infraestrutura da Unidade Básica de Saúde não seja muito boa, mesmo que faltem coisas, quando o atendimento médico é bom isso repercute bem na avaliação do programa", defende a pesquisadora. Ainda segundo Helcimara, essa satisfação pode estar ligada à experiência dos médicos, já que 63% dos profissionais têm mais de dez anos de experiência, a maioria na atenção básica.

Notícias relacionadas

[Prefeito é assassinado no interior do Maranhão]
Brasil

Prefeito é assassinado no interior do Maranhão

Por Alexandre Galvão no dia 11 de Novembro de 2018 ⋅ 17:30 em Brasil

O inquérito sobre o assassinato está a cargo da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoas. A polícia ainda não se manifestou sobre o caso