Brasil

Contra seita religiosa, Polícia Federal deflagra operação “De Volta para Canaã”

A Polícia Federal realizou na manhã desta segunda-feira (17), a operação “De Volta para Canaã”, que investiga os integrantes da seita “Jesus A Verdade que Marca”. O grupo religioso, que já foi alvo da operação Canaã em 2013, conseguia membros em São [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Agência Brasil

Por Gabriel Nascimento no dia 17 de Agosto de 2015 ⋅ 11:40

A Polícia Federal realizou na manhã desta segunda-feira (17), a operação “De Volta para Canaã”, que investiga os integrantes da seita “Jesus A Verdade que Marca”. O grupo religioso, que já foi alvo da operação Canaã em 2013, conseguia membros em São Paulo para trabalhar em fazendas e indústrias no interior de Minas Gerais, sem salários.

De acordo com informações da Polícia Federal, os fiéis eram convencidos a doar todos os seus bens para os líderes, e obedecê-los cegamente. Como argumento, eles afirmavam que a convivência se daria em uma comunidade onde “tudo seria de todos”, no entanto, os fiés não recebiam nada em troca do trabalho. Os seguidores não tinham acesso à televisão, internet, e eram proibidos de dormir com seus parceiros. Estima-se que os líderes tenham recebido um patrimônio de mais de R$ 100 milhões, investidos em casas, fazendas e carros de luxo. Entre os 129 mandados cumpridos pela PF, nesta segunda-feira (17), 70 são de sequestro de bens obtidos pelo grupo.

Os mandados de prisão temporária, busca, apreensão e condução coercitiva estão sendo cumpridos em Barra, Cotegipe, Ibotirama, Morporá e Remanso, além de outras sete cidades de Minas Gerais e São Paulo. Mais de 190 policiais federais inspecionam propriedades rurais e algumas empresas. Os envolvidos responderão pelos crimes de redução de pessoas à condição análoga à de escravo, tráfico de pessoas, estelionato, organização criminosa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. 

Notícias relacionadas

[Eletrobras vai abrir plano de demissão consensual]
Brasil

Eletrobras vai abrir plano de demissão consensual

Por Clara Rellstab no dia 18 de Janeiro de 2019 ⋅ 10:40 em Brasil

O custo das demissões foi calculado em cerca de R$ 731 milhões. As adesões voluntárias ao PDC ocorrerão por um período de 30 dias

[Inep divulga hoje notas do Enem]
Brasil

Inep divulga hoje notas do Enem

Por Clara Rellstab no dia 18 de Janeiro de 2019 ⋅ 08:00 em Brasil

Mais de 4,1 milhões de estudantes já podem acessar a quanto obtiveram em cada uma das provas: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza, matemática e redação