Brasil

Ipea aponta que 43% das pessoas que saem da situação de desemprego conseguem vagas informais

Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (14) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta que 43% das pessoas que saíram da situação de desemprego no 2º trimestre de 2017 conseguiram vagas sem carteira assinada. [Leia mais...]

[Ipea aponta que 43% das pessoas que saem da situação de desemprego conseguem vagas informais]
Foto : Agência Brasil

Por Paloma Morais no dia 14 de Setembro de 2017 ⋅ 14:40

Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (14) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta que 43% das pessoas que saíram da situação de desemprego no 2º trimestre de 2017 conseguiram vagas sem carteira assinada. Apenas 28% conseguiram contratos para uma vaga com carteira assinada, 28% começaram a trabalhar por conta própria e 1% se tornaram empregadores.

Segundo o estudo, que foi realizado a partir de microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de um total de 1,3 milhão de trabalhadores que foram absorvidos, 1 milhão foram incorporados pelo mercado informal.

A constatação por meio do estudo confirma a tendência que já havia sido apontada pelo IBGE de que é esse tipo de trabalho que tem feito a taxa de desemprego no Brasil diminuir. No mês de julho, o instituto divulgou dados em que mostram que o desemprego caiu para 12,8% e atingiu 13,3 milhões. Porém, o Ipea mostra, que mesmo com essa constatação, o mercado formal ainda é o principal empregador do país, com um total de 44 milhões de trabalhadores com carteira assinada, o que representa 49% de toda a população ocupada. 

"Observa-se que ao longo dos últimos anos, vem crescendo o número de trabalhadores por conta própria enquanto o contingente de empregados no mercado formal mantém-se estável", diz o estudo, que mostra que a participação dos trabalhadores por conta própria teve um aumento de 22% em 2012 para 25% em 2017 e das pessoas sem carteira diminuiu de 23% para 21%.

Notícias relacionadas