Brasil

Joesley e Wesley Batista são indiciados pela PF por uso de informação privilegiada

Os empresários Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F, foram indiciados pela Polícia Federal sob a alegação de que eles \"utilizaram-se das informações relevantes que detinham (conteúdo da colaboração premiada) para realizar operações no mercado de capitais e auferir vantagens\". Os irmãos estão presos na sede da PF em São Paulo. [Leia mais...]

[Joesley e Wesley Batista são indiciados pela PF por uso de informação privilegiada]
Foto : Rovena Rosa/Agência Brasil

Por Laura Lorenzo no dia 21 de Setembro de 2017 ⋅ 14:18

Os empresários Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F, foram indiciados pela Polícia Federal sob a alegação de que eles \"utilizaram-se das informações relevantes que detinham (conteúdo da colaboração premiada) para realizar operações no mercado de capitais e auferir vantagens\". Os irmãos estão presos na sede da PF em São Paulo.

Joesley foi indiciado pelo uso indevido de informação privilegiada e pela prática contínua de manipulação de mercado. Já Wesley foi indiciado por uso indevido de informação privilegiada agravada por abuso de poder.

O delegado federal Edson Fabio Garutti Moreira salientou em seu despacho que \"enquanto participavam dos procedimentos de negociação de colaboração premiada, sabendo do potencial desta delação no mercado de valores mobiliários brasileiro, utilizaram esta informação privilegiada, ainda sigilosa, determinando a realização de operações de compra/venda no mercado de valores mobiliários\".

Notícias relacionadas

[Eletrobras vai abrir plano de demissão consensual]
Brasil

Eletrobras vai abrir plano de demissão consensual

Por Clara Rellstab no dia 18 de Janeiro de 2019 ⋅ 10:40 em Brasil

O custo das demissões foi calculado em cerca de R$ 731 milhões. As adesões voluntárias ao PDC ocorrerão por um período de 30 dias

[Inep divulga hoje notas do Enem]
Brasil

Inep divulga hoje notas do Enem

Por Clara Rellstab no dia 18 de Janeiro de 2019 ⋅ 08:00 em Brasil

Mais de 4,1 milhões de estudantes já podem acessar a quanto obtiveram em cada uma das provas: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza, matemática e redação