Brasil

Para evitar fraudes, Enem 2017 contará com detectores de ponto eletrônico

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terá uma novidade neste ano. O ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou nesta quarta-feira (27) que a pasta adotará durante a aplicação dos exames, detectores de aparelhos de ponto eletrônico no intuito de prevenir contra possíveis fraudes. [Leia mais...]

[Para evitar fraudes, Enem 2017 contará com detectores de ponto eletrônico]
Foto : Agência Brasil

Por Paloma Morais no dia 27 de Setembro de 2017 ⋅ 15:54

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terá uma novidade neste ano. O ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou nesta quarta-feira (27) que a pasta adotará durante a aplicação dos exames, detectores de aparelhos de ponto eletrônico no intuito de prevenir contra possíveis fraudes. Os sistemas serão usados de maneira experimental em alguns pontos onde serão feitas a prova.

“A gente sabe que, infelizmente, um dos métodos mais utilizados em concursos públicos e na aplicação do Enem é o de pontos eletrônicos. Se a gente tem hoje um equipamento que pode detectar o uso desse tipo de equipamento, a gente vai inibir e, evidentemente, combater esse tipo de fraude”, afirmou o ministro durante evento em Osasco.

De acordo com Mendonça, o uso do sistema poderá ser ampliado nas próximas edições do exame. “À medida que a aplicação desse tipo de equipamento for validada a partir dessa experiência do Enem 2017, a gente vai aumentar a amplitude”, destacou. Além disso,  partir deste ano, outra medida de segurança adotada será a identificação individual nominal de cada prova. “o rigor em termos de segurança se amplia cada vez mais, inclusive com a identificação individual de cada prova”, acrescentou. 

Com 6.731.203 inscritos, o Enem 2017 será aplicado em 1.724 municípios nos dias 5 e 12 de novembro.

Notícias relacionadas

[‘Mordaça', diz Marco Aurélio sobre censura]
Brasil

‘Mordaça', diz Marco Aurélio sobre censura

Por Kamille Martinho no dia 18 de Abril de 2019 ⋅ 17:40 em Brasil

"Não se trata de censura. A Constituição fala em censura prévia e é clara quanto ao abuso no conteúdo divulgado", argumentou