Brasil

Suspeito de participar de ataques em Fortaleza é preso com armas e munição

Um suspeito de envolvimento na série de ataques na cidade de Fortaleza, no Ceará, na noite de sexta-feira (9), foi preso hoje no Bairro Benfica. O ataque deixou sete pessoas mortas. [Leia mais...]

[Suspeito de participar de ataques em Fortaleza é preso com armas e munição]
Foto : André Teixeira/G1 CE

Por Paloma Morais no dia 11 de Março de 2018 ⋅ 17:05

Um suspeito de envolvimento na série de ataques na cidade de Fortaleza, no Ceará, na noite de sexta-feira (9), foi preso hoje no Bairro Benfica. O ataque deixou sete pessoas mortas.

A Polícia Civil do local chegou até o homem após localizar um veículo que aparecia nas imagens de câmeras de segurança próximas à sede da torcida organizada do Fortaleza, onde ocorreu parte dos ataques. O carro estava na garagem de um prédio no Bairro Meireles. Ao perceber a chegada dos agentes, o suspeito, que estava no imóvel, tentou fugir, mas foi detido. Com ele a polícia apreendeu três armas de fogo, munições e carregadores de pistola.

O homem foi levado à sede da Departamento de Homicidios e Proteção a Pessoa (DHPP), onde está preso. Ele vai responder por homicídio, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, resistência, receptação e na Lei das Organizações Criminosas.

O caso - Sete pessoas foram assassinadas em uma série de ataques na Praça da Gentilândia, no Bairro Benfica, e próximo à sede da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF). Dois torcedores seguem internados no Hospital Instituto Dr. José Frota (IJF).

Em coletiva de imprensa realizada na tarde de ontem, o secretário da Segurança Pública do Ceará, André Costa, apontou que há duas hipóteses para os ataques: na Praça da Gentilândia a motivação pode ser o tráfico de drogas, já na sede da TUF pode ter ligação com uma briga de torcidas que deixou dois torcedores feridos no fim de semana anterior.

Notícias relacionadas

[PGR repudia assassinatos de militantes do MST]
Brasil

PGR repudia assassinatos de militantes do MST

Por Marina Hortélio no dia 10 de Dezembro de 2018 ⋅ 14:20 em Brasil

A Procuradoria aponta que existe um 'contexto sombrio de violência contra os movimentos sociais' no país