Brasil

Ministério Público investiga fóruns de ódio na internet em atentado em escola

Investigação mira um fórum que espalha ódio e se esconde nas profundezas da internet

[Ministério Público investiga fóruns de ódio na internet em atentado em escola]
Foto : Reprodução

Por Matheus Simoni no dia 15 de Março de 2019 ⋅ 08:40

O Ministério Público de São Paulo, através do grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), foi escalado pelo procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, para atuar nas investigações do ataque de dois atiradores na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, que terminou com dez mortos e 11 feridos nesta semana. Segundo o jornal Estado de S. Paulo, a escolha de promotores especializados para o caso é explicada pela suspeita de que um grupo criminoso pode ter atuado com a dupla, diz Smanio, e colaborado com “crimes relacionados a terrorismo doméstico”.

A investigação mira um fórum que espalha ódio e se esconde nas profundezas da internet. "Faremos uma investigação ampla em todas as linhas para saber como eles (os atiradores) tiveram acesso às armas, se há um grupo que atua com eles, se há uma rede de comunicação entre eles, as motivações e a forma do crime”, afirmou Smanio. “Não descartamos nada. Se tiver outras pessoas envolvidas, vamos alcançá-las", declarou.

O órgão vai passar um pente fino em contatos mantidos pela internet por Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, e pelo adolescente G.T.M., de 17 anos, responsáveis pelo ataque. Entre os vários elementos semelhantes do ataque na escola em Realengo, em 2011, com o de Suzano, um deles parece puxar um fio de conexão mais robusto.

Notícias relacionadas