Brasil

Justiça bloqueia bens de Alckmin em ação sobre repasses da Odebrecht

O montante seria de R$ 7,8 milhões (R$ 9,9 milhões atualizados)

[Justiça bloqueia bens de Alckmin em ação sobre repasses da Odebrecht]
Foto : Alexandre Carvalho

Por Kamille Martinho no dia 15 de Abril de 2019 ⋅ 17:00

A Justiça de São Paulo determinou o bloqueio dos bens do ex-governador Geraldo Alckmin, atual presidente nacional do PSDB.

O juiz Alberto Alonso Muñoz, da 13ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, atendeu a um pedido do Ministério Público de São Paulo feito em ação civil pública.

O processo se refere à investigação de improbidade administrativa decorrente de repasses da Odebrecht para a campanha do tucano em 2014, quando foi reeleito governador. Os valores não teriam sido declarados à Justiça Eleitoral.

O montante seria de R$ 7,8 milhões (R$ 9,9 milhões) atualizados. Muñoz ordenou o bloqueio de R$ 39,7 milhões dos investigados, incluindo Alckmin. O juiz determinou ainda que fiquem indisponíveis todos os veículos licenciados em nome dos réus.

Notícias relacionadas

[‘Mordaça', diz Marco Aurélio sobre censura]
Brasil

‘Mordaça', diz Marco Aurélio sobre censura

Por Kamille Martinho no dia 18 de Abril de 2019 ⋅ 17:40 em Brasil

"Não se trata de censura. A Constituição fala em censura prévia e é clara quanto ao abuso no conteúdo divulgado", argumentou