Brasil

Justiça nega habeas corpus para Abdelmassih voltar à prisão domiciliar

O ex-médico cumpria desde 2017 prisão domiciliar pelo estupro de 56 pacientes entre 1995 e 2008

[Justiça nega habeas corpus para Abdelmassih voltar à prisão domiciliar]
Foto : Agência Lusa/Senad

Por Kamille Martinho no dia 18 de Agosto de 2019 ⋅ 08:00

A justiça paulista negou hoje (17) habeas corpus com pedido de liminar da defesa de Roger Abdelmassih. Na última terça-feira (13), ele teve suspensa a prisão domiciliar por suspeita de fraude nas declarações das condições de sua saúde. Desde 2017, ele cumpria prisão em casa. 

O pedido da advogada Larissa Sacco Abdelmassih, esposa do ex-médico, alega constrangimento ilegal por parte da juíza Andréa Brandão, que decidiu pelo recolhimento dele em hospital penitenciário por pelo menos 30 dias até realização de perícia judicial.

Abdelmassih cumpre pena pelo estupro de 56 pacientes entre 1995 e 2008. Abdelmassih foi condenado em 2010 a 278 anos de prisão. 

A decisão da juíza Andréa Brandão determina que Abdelmassih “permaneça em ambiente controlado, recebendo seu arsenal terapêutico de forma regular e sob supervisão médica, até a realização da nova perícia judicial”. No texto, ela sustenta que denúncias apontaram indícios de que “o sentenciado fez uso de seus conhecimentos médicos para ingerir medicações que levara a complicações e descompensações intencionais a fim de alterar a conclusão da perícia judicial

Notícias relacionadas