Brasil

Famílias de vítimas de voo da Chape querem ajuda de Bolsonaro

Representantes se reúnem amanhã com o presidente, em Brasília

[Famílias de vítimas de voo da Chape querem ajuda de Bolsonaro]
Foto : Divulgação / Cleberson Silva / Chapecoense

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Agosto de 2019 ⋅ 13:00

Quase três anos após a queda do avião da Chapecoense, ocorrida em novembro de 2016, representantes das famílias das vítimas estão na expectativa de um encontro com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto.

A audiência do chefe do Executivo nacional com Fabienne Belle e Mara Paiva, integrantes da Associação das Famílias das Vítimas do Voo da Chapecoense (Afav-C), está marcada para amanhã (20), no Palácio do Planalto, e foi intermediada pelo senador Jorge Kajuru (Patriota-GO). Também devem participar os senadores Romário (Podemos- RJ), Leila Barros (PSB-DF) e o presidente da Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado, Nelsinho Trad (PSD-MS). As informações são da Agência Brasil.

No encontro, a Afav-C vai buscar saber de que maneira o governo brasileiro poderia, por vias diplomáticas, ajudar na batalha judicial que envolve a empresa Lamia, dona da aeronave, a seguradora Aon, as autoridades bolivianas e colombianas de aviação e as famílias das vítimas.

Até agora, o escritório que representa a seguradora já fechou acordos com 23 famílias das vítimas, pagando U$ 225 mil dólares para cada uma em condição de auxílio. Em troca, elas abriram mão de ações contra seguradoras e autoridades regulatórias.

Representantes das famílias das vítimas questionam o valor. Elas afirmam que até meses antes da queda do avião da Lamia, o valor da apólice, que era de US$ 300 milhões, passou a ser de US$ 25 milhões. O assunto tem sido debatido desde o ano passado pela Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado, que já realizou três audiências públicas, duas delas somente este ano.

Notícias relacionadas