Cidade

Leitor denuncia falta de coleta seletiva no Subúrbio

O leitor Leandro Passos denunciou ao Metro1, na manhã desta terça-feira (5), que tem passado problemas para descartar resíduos sólidos nos pontos de coleta seletiva instalados nos bairros de Periperi e Paripe. [Leia mais...]

[Leitor denuncia falta de coleta seletiva no Subúrbio]
Foto : Leitor Metro1/ Leandro Passos

Por Paloma Andrade no dia 05 de Janeiro de 2016 ⋅ 10:31

O leitor Leandro Passos denunciou ao Metro1, na manhã desta terça-feira (5), que tem passado problemas para descartar resíduos sólidos nos pontos de coleta seletiva instalados nos bairros de Periperi e Paripe. De acordo Passos, os coletores estão com excesso de lixo há cerca de 10 dias. O leitor disse, ainda, que a situação também acontece nos bairros da Ribeira e Bonfim. “A população está fazendo a sua parte, a prefeitura apenas marketing?”, questionou Leandro. 

O Diretor da Secretaria Cidade Sustentável, João Resch Leal afirmou ao Metro1, na manhã desta terça, que o projeto dos coletores foi uma criação da pasta, mas a retirada do lixo é de responsabilidade da Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb). Segundo Resch, há uma parceria entre os órgãos, onde a secretaria elabora o roteiro de coleta e a Limpurb cumpre o mesmo. “Estamos em  parceria com a Limpurb com a questão da coleta. São dois caminhões só para atender 150 equipamentos. Esse roteiro [de coleta] seria feito ontem [segunda], mas devido a chuva não foi completo. O caminhão vai hoje [terça] lá no Subúrbio e em Cajazeiras”, garantiu. 
 
João Resch explicou que a coleta foi prejudicada com a chegada do fim de 2015. “O caminhão coleta o material e leva para a cooperativa parceira. […] Esse final do ano as cooperativas tiveram recesso, isso interferiu no processo. Ficamos cerca de 5 dias sem poder fazer o roteiro, mas creio que essa semana a gente consiga restabelecer”. 

O diretor disse, ainda, que o processo ainda está em fase de adaptação, onde estão sendo analisados os possíveis ajustes. “O que interfere nesse processo é que o caminhão quando tem coletor muito cheio, ele não consegue finalizar o roteiro. Então ele pega uma parte do roteiro e no outro dia complementa. Talvez isso que esteja atrasando os outros roteiros. Mas como é um processo novo, a gente está adequando ainda. Ainda estamos tendo a avaliação de alguns pontos e adequando para criarmos uma logística”. 

Segundo Resch, em 4 meses, 30 toneladas de recicláveis já foram recolhidas. 

Notícias relacionadas