Cidade

Alagamento em Pirajá: sobe para 130 o número de famílias desabrigadas

Após temporal em Salvador, ruas ficaram alagadas desde a manhã da última segunda-feira (4). No bairro de Campinas de Pirajá, o número de famílias desabrigadas subiu para 130, segundo o último balanço feito nesta quarta-feira (6), pela Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps). Famílias foram resgatadas por um bote. [Leia mais...]

[Alagamento em Pirajá: sobe para 130 o número de famílias desabrigadas]
Foto : Juliana Almirante/G1

Por Jessica Galvão no dia 06 de Janeiro de 2016 ⋅ 14:16

Após temporal em Salvador, ruas ficaram alagadas desde a manhã da última segunda-feira (4). No bairro de Campinas de Pirajá, o número de famílias desabrigadas subiu para 130, segundo o último balanço feito nesta quarta-feira (6), pela Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps). Famílias foram resgatadas por um bote.

Ruas do bairro ficaram completamente alagadas, a água da chuva invadiu as casas e foi possível encontrar, em alguns pontos, carros parcialmente tomados pela enchente. Na manhã desta quarta-feira (6) um morador acabou passando mal enquanto ajudava no trabalho de retirada das pessoas com o bote da Coordenadoria de Salvamento Marítimo da Prefeitura de Salvador (Salvamar). Ele foi encaminhado por equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu).

Segundo Marcílio Bastos, secretário de Manutenção de Salvador, o alagamento é causado pela obstrução da rede de esgoto. "A rede está obstruída com o lixo. Então, nós estamos fazendo o trabalho de desobstrução e retirando a água que está confinada aqui", disse.

As pessoas que têm cadastro na prefeitura podem receber auxílio de um a três salários mínimos, dependendo dos danos causados pelo alagamento. De acordo com a diretora da Semps, os desabrigados ainda podem contar com atendimento de uma rede de psicólogos e assistentes sociais.

Notícias relacionadas

[Fabrício Queiroz movimentou R$ 7 milhões em três anos]
Cidade

Fabrício Queiroz movimentou R$ 7 milhões em três anos

Por Leo Sousa no dia 20 de Janeiro de 2019 ⋅ 10:00 em Cidade

Nos arquivos do Coaf consta que as movimentações financeiras de ex-motorista de Flávio Bolsonaro tiveram um volume maior do que o que foi divulgado em dezembro