Cidade

Vereadores querem gratuidade para desempregados nos ônibus em Salvador

Um projeto de indicação que propõe gratuidade no transporte coletivo a desempregados, por um período de 90 dias, foi aprovado pela Câmara Municipal de Salvador no início de dezembro e agora deve ser apreciado pelo prefeito ACM Neto. A proposta sugere que a Prefeitura elabore estudos técnicos no sentido de viabilizar a implantação do Bilhete Especial do Desempregado. [Leia mais...]

[Vereadores querem gratuidade para desempregados nos ônibus em Salvador]
Foto : Divulgação / Câmara Municipal de Salvador

Por Stephanie Suerdieck no dia 07 de Janeiro de 2016 ⋅ 16:17

Um projeto de indicação que propõe gratuidade no transporte coletivo a desempregados, por um período de 90 dias, foi aprovado pela Câmara Municipal de Salvador no início de dezembro e agora deve ser apreciado pelo prefeito ACM Neto. Os vereadores Gilmar Santiago e Vânia Galvão, ambos do PT e responsáveis pela proposta, cobraram a análise do prefeito, principalmente depois que passou a vigorar o aumento de 10% no valor do transporte coletivo em Salvador, desde o dia 2 de janeiro. “A nossa ideia é facilitar a vida dos cidadãos, o prefeito vive falando em crise, então deve considerar os fatores econômicos da nossa cidade; afinal se há uma política municipal de atração de empreendimentos ou de estímulo ao empreendedorismo não está surtindo efeitos”, afirmou Vânia. A proposta sugere que a prefeitura elabore estudos técnicos no sentido de viabilizar a implantação do Bilhete Especial do Desempregado.

Segundo os vereadores, a elaboração do projeto teve como exemplo um decreto publicado pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), em novembro do ano passado, que estabelece a gratuidade no transporte coletivo a desempregados no município. “Salvador está entre as capitais que têm o maior índice de desemprego no país, portanto, precisamos criar subsídios para atender às demandas dessa população”, defendeu Gilmar Santiago. Para o vereador, com a mudança da tarifa, de R$ 3 para R$ 3,30, “ficará mais difícil a locomoção para quem está vivendo de seguro-desemprego ou sem esse recurso”.

Ainda de acordo com a proposta, o Bilhete Especial será um benefício concedido pela prefeitura a desempregados que trabalharam por, pelo menos, seis meses no último emprego, com carteira assinada, e foram demitidos sem justa causa.

 

Notícias relacionadas