Cidade

Para Wagner, desgaste do PT não vem da crise econômica, mas dos escândalos

O ministro da Defesa Jaques Wagner afirmou, em entrevista ao jornal Correio Braziliense, que existe um desgaste do PT gerado por conta dos escândalos que envolveram o partido. Segundo o ex-governador da Bahia, não é hora de pensar no fim da sigla, já que não há um partido que possa ocupar a posição do PT. [Leia mais...]

[Para Wagner, desgaste do PT não vem da crise econômica, mas dos escândalos]
Foto : Reprodução/RadarNotícia

Por Matheus Simoni no dia 15 de Junho de 2015 ⋅ 17:45

O ministro da Defesa Jaques Wagner afirmou, em entrevista ao jornal Correio Braziliense, que existe um desgaste do PT gerado por conta dos escândalos que envolveram o partido. Segundo o ex-governador da Bahia, não é hora de pensar no fim da sigla, já que não há um partido que possa ocupar a posição do PT.

"Existe um desgaste, que, na minha opinião, não é por conta da economia, mas dos escândalos. Isso pesou. O pecado do pregador é mais sentido do que o pecado do pecador. Mas acho besteira apostar no fim. Política não tem espaço vazio e eu não vejo, pelo menos por enquanto, uma agremiação partidária que ocupe o espaço que o PT ocupou ao longo do tempo", afirmou ele.

Wagner ainda comentou sobre o papel exercido por Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados. Para o petista, Cunha faz um jogo para exercer protagonismo com a função de presidente da Casa. "Ele é um presidente de Câmara diferente de outros, porque ele quer jogar um papel de protagonista. Ele está certo desde que ele não queira se transformar em um bunker de oposição", declarou. 

\"\"

Notícias relacionadas