Cidade

Sessão Pública discutirá atual situação da assistência obstétrica na Bahia

Acontece na próxima segunda-feira (01), às 18h, no Salão Nobre da Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Canela, uma sessão pública para discutir a atual situação da assistência obstétrica e neonatal no Estado da Bahia. Na ocasião, serão abordados temas como a superlotação das maternidades, falta de estrutura física, sobrecarga de profissionais e os riscos à saúde de mães e bebês. [Leia mais...]

[Sessão Pública discutirá atual situação da assistência obstétrica na Bahia]
Foto : Reprodução

Por Jessica Galvão no dia 27 de Janeiro de 2016 ⋅ 16:27

Acontece na próxima segunda-feira (01), às 18h, no Salão Nobre da Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Canela, uma sessão pública para discutir a atual situação da assistência obstétrica e neonatal no Estado da Bahia. Na ocasião, serão abordados temas como a superlotação das maternidades, falta de estrutura física, sobrecarga de profissionais e os riscos à saúde de mães e bebês.

"É extremamente preocupante o comprometimento da qualidade da assistência e do ensino prestados na Maternidade Climério de Oliveira, hospital-escola vinculado à Universidade Federal, devido a constante superlotação da unidade. Por consequência, pacientes permanecem indevidamente internadas em macas, poltronas de acompanhantes, cadeiras, leitos de exames e salas de parto, com grave risco de dano e morte ao binômio mãe e filho. Temos notícias de que esta situação se replica em outras maternidades. Em virtude da grave realidade, com pacientes, equipe assistencial, instituição e gestores expostos às vulnerabilidades de ordem assistencial, administrativa, cível e penal é que propusemos esse encontro para um amplo debate na busca de propostas para resolver ou minimizar estes riscos", justificou o reitor da UFBA, João Carlos Salles, que propôs a realização da Sessão Pública e que coordenará os debates.

Também estarão presentes no encontro secretários de saúde do Estado e Município, diretores de maternidades e profissionais de saúde, além de representantes de Conselhos, Associações e Sindicatos ligados ao tema.

Notícias relacionadas

[Médico infectologista Rodolfo Teixeira morre aos 89 anos]
Cidade

Médico infectologista Rodolfo Teixeira morre aos 89 anos

Por Matheus Simoni no dia 21 de Outubro de 2018 ⋅ 08:30 em Cidade

Professor Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e entusiasta da área de pesquisa, ele foi um idealizadores do Centro de Estudos Egas Mo...