Cidade

Após 3 anos de incêndio, Prefeitura abre mão de reformar Solar Boa Vista

“Longe o feudal castelo levanta a antiga torre, que aos raios do poente brilhante sol escorre”. Nos versos do poema “Boa Vista”, um dos mais célebres moradores do solar, o poeta Castro Alves, já exaltava a beleza do espaço. [Leia mais...]

[Após 3 anos de incêndio, Prefeitura abre mão de reformar Solar Boa Vista]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira no dia 27 de Janeiro de 2016 ⋅ 10:24

“Longe o feudal castelo levanta a antiga torre, que aos raios do poente brilhante sol escorre”. Nos versos do poema “Boa Vista”, um dos mais célebres moradores do solar, o poeta Castro Alves, já exaltava a beleza do espaço. Sem data de construção reconhecida oficialmente, o Solar Boa Vista já serviu como base para a observação de navios, hospital psiquiátrico e foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)  antes de ser destruído pelo fogo em 2013. Hoje, amarga o abandono.
 
A preocupação do estado e do Município logo após as chamas consumirem o prédio, com o então governador Jaques Wagner e o prefeito ACM Neto visitando os escombros deu lugar à ausência de atitude e a um jogo de empurra sobre a responsabilidade da revitalização. A Secretaria de Administração do governo (Saeb) explicou que a reforma do espaço está travada por conta da morosidade da Secretaria Municipal de Educação, para quem o prédio estava cedido e que deveria encaminhar o plano da obra de restauração do imóvel.
 
“Temos tido diversas reuniões com a secretaria de Educação e, em diversas oportunidades, solicitamos o envio de um material necessário para que a gente toque o processo”, afirmou a superintendente do Patrimônio do Estado, Juliana Cavalcanti.
 
Em março de 2015, a secretaria de educação encaminhou para a Saeb as primeiras documentações. “Enviamos para a procuradoria do estado, que analisou o material e nós, em maio, logo em seguida, informarmos para a secretaria quais alterações precisavam ser feitas naquele documento. Em janeiro de 2016 nós pedimos novamente a resposta”, conta Cavalcanti. O patrimônio da Bahia espera a Prefeitura de Salvador.
 
Prefeitura não quis valor do seguro
Se a papelada era a única pendência para a liberação de R$ 646,5 mil, que seriam repassados pelo estado para auxiliar a obra, a Prefeitura de Salvador resolveu abrir mão do imóvel. “Como o valor do seguro do Solar Boa Vista não cobre os custos de recuperação do prédio, o imóvel será devolvido ao governo do estado”, informou a Secretaria de Educação de Salvador. 
 
De acordo com a superintendente do Patrimônio do Estado, Juliana Cavalcanti, seria de responsabilidade da administração municipal a condução da obra.  “Uma parte dessa verba é oriunda do seguro que vai ser repassado pelo estado e o valor remanescente é de responsabilidade da Prefeitura”, disse.  Com a desistência da secretaria de Educação de Salvador após três anos de imóvel inutilizado, o futuro do Solar Boa Vista ficou ainda mais obscuro. 

Comentarios

Notícias relacionadas